Análise de Jogo

Análise: Giants vs Lions

Photo by Robert Deutsch-USA TODAY Sports

Depois de uma vitória um pouco “anêmica” diante dos Cowboys em casa, com Justin Pugh fora e Shane Vereen saindo com concussão… Conseguimos outra vitória contra os Lions!

A defesa cedeu algumas jardas, mas apareceu quando era necessário. E claro, com a boa atuação de Brad Wing, o Giants conseguiu concretizar uma vitória importante na temporada. Mas enquanto a defesa faz os olhos dos torcedores brilharem, o ataque continua um pouco apagado. Mas, com pontos e melhorias importantes acontecendo nessa semana. O que alegra e muito todos nós!

Que tal a gente decidir quais foram os momentos vencedores e perdedores da semana? 🙂

  • Os vencedores

Justin Pugh: que diferença faz um “simples” LG na linha ofensiva? Aparentemente, bastante. Conseguiu abrir espaços para as corridas (a melhor performance do time na temporada – com 114 jardas em 32 carregas e uma média de 3.5 jardas por tentativa) e conseguiu manter Eli Manning fora de perigo na maioria do tempo.

As melhores corridas do time foram do lado de Pugh e isso já diz tudo. Graças ao bom jogo corrido, a boa proteção de Pugh e o jogo aéreo incrivelmente bem, a vitória era questão de tempo.

Eli Manning: jogou para apenas 201 jardas, é verdade. Mas completou 71% dos seus passes, dois touchdowns e nenhuma interceptação.

Nosso QB está muito mais confortável no pocket, comparando com as outras semanas e isso é muito bom de notar. A comunicação e proteção na linha foi muito melhor também. Não foi perfeita, é claro. Mas foi funcional e cometeu poucos erros.

Defesa: não tem o que falar! Novamente, a grande responsável pela nossa vitória. Todos jogarem bem, todos participaram do jogo e todos foram responsáveis por mais essa vitória. Defesas podem sim ganhar campeonatos, já vimos isso acontecer… E queremos ver de novo!

  • Os perdedores

Lesão de Janoris Jenkins: o Giants perdeu o seu CB no primeiro temop, quando Trevin Wade bateu o seu joelho nas costas de Jenkins. A defesa continuou forte sem ele, mas sua ausência foi notável e deixou o ataque dos Lions mais forte. Dominique Rodgers-Cromartie substituiu Jenkins quando precisou, e fez um bom jogo: com vários tackles, alguns erros porém, com uma interceptação crucial para a vitória.

Faltas bobas: as faltas tiraram do Giants dois touchdowns, sendo um deles um retorno incrível feito por Odell. Nesse caso, não fizeram diferença. Mas se queremos chegar aos playoffs e, se tudo der certo, ao Super Bowl… Não podemos cometer esses erros, ainda mais se eles custarem pontos no placar.

  • E agora?

Se o time continuar com a defesa jogando como está e melhorando o ataque (como já notamos essa semana), amigos… Temos tudo para chegar ao Super Bowl novamente! Mas, claro, não podemos cometer erros que nos tirem pontos no placar ou caminhar de marcha ré em campo. Se entrarmos em equilíbrio, ninguém nos segura.

O nosso próximo confronto será no Thursday Night Football (22), enfrentando os Eagles fora de casa. Uma batalha difícil e que poderá carimbar nossa ida aos playoffs! Será que vamos sair com outra vitória? Esperamos que sim. Agora e sempre: GO GIANTS! 😀

Placar Final: New York Giants 17 vs 06 Detroit Lions
*Melhores momentos, aqui.

  • Felipe Negrelli Wolter

    o ataque não rendeu nada entre o primeiro td e o segundo. não podemos gastar todas as tres descidas em corridas pelo o meio, principalmente quando elas não estão rendendo e não nos deixam em posições melhores para a conversão da terceira descida e essa foi a causa da maioria dos 3 and outs dos giants. vamos lá, mais odell, cruz e sheppard e menos jennings, vereen e perkins

    • Abraão Gambarra

      Muito amigo o jogo terrestre tava funcionando o necessário e por isso deu certo e continuará dando, os melhores times se equilibram entre corridas e passes, e o que nós estamos conseguindo? “Ser um grande time” ou melhor um gigante ○/
      #GOGIANTS

      • Felipe Negrelli Wolter

        o que eu estou querendo dizer é que o giants, considerando a qualidade da linha offensiva e do grupo de RBs, não tem condições de usar a filosofia ” run to set up the pass”. pelas nossas pessas no ataque, tem que ser uma pass first offense, ou seja ” pass to set up the run”

Shares