New York Giants

Como está e como ficará a comissão técnica com Shurmur

Photo by Mark J. Rebilas-USA TODAY Sports

Como amplamente divulgado, Shurmur é esperado pelo Giants para assumir o cargo de Head Coach da franquia, porém, somente será confirmado após a eliminação ou vitória no super bowl do Vikings.

Mas o que fazer até lá? Especular é necessário. Então vamos lá.

Nesse “lenga lenga” de entrevistas e especulações, uma grande quantidade de treinadores, assistentes e especialistas aceitaram o convite do GM Gettleman para procurar emprego em outros lugares e conseguiram.

Photo by Brian Spurlock-USA TODAY Sports
  • Quem são eles?

Mike Sullivan (coordenador ofensivo), Frank Cignetti Jr. (treinador de quaterbacks), Kevin Gilbride Jr. (treinador de tight ends), Patrick Graham (treinador de defensive lineman), Adam Henry (treinador de wide receivers) e Mike Solari (treinador de offensive line) já estão vinculados a outras franquias e não mais fazem parte da comissão técnica do Giants.

Photo by Andew Mills and NJ Advance Media for NJ.com
  • No final das contas, o que isso significa?

Basicamente, Gettleman, não quer deixar vestígios da era Ben McAdoo, por isso, fez o “convite” para que todos os treinadores procurarem outros empregos e foi isso que eles fizeram. Um movimento sábio o general manager da franquia visto que o time passou pela pior campanha registrada na história da franquia.

Alguns nomes dessa lista foram realmente uma perda grande, Adam Henry, por exemplo, foi treinador de Odell no college pela LSU, por isso, foi contrato pelo Giants para desenvolver de perto o jogador. Convenhamos que ele estava fazendo um bom trabalho, basta olhar a situação de recebedores esse ano, mesmo com as lesões de Odelll Beckham Jr, Brandon Marshall e Dwayne Harris, os recebedores reservas Roger Lewis, Travis Rudolph e Tavarres King fizeram um trabalho razoável na medida do possível. 

Isso sem falar a evolução de Sterling Shepard. Para quem não lembra, antes da lesão de Beckham Jr. e Marshall, ele era o recebedor na função slot (entre os jogadores de linha ofensiva e o recebedor na ponta do campo), porém, teve que exercer a função de recebedor principal nas pontas, cujo qual não teve grandes dificuldades, isso tudo graças ao trabalho do treinador Adam Henry.

Para os que ficaram, vale ressaltar, o treinador de running backs, Craig Johnson, o único do ataque. Na defesa, os treinadores Bill McGovern (treinador de linebackers), Tim Walton (Treinador de secundária – Cornerbacks), Dave Merritt (treinador de secundária – Safeties) e Tom Quinn (coordenador de times especiais) devem ficar até que a direção da franquia decida sobre o futuro de Steve Spagnuolo, coordenador defensivo e head coach interino.

Caso Spagnuolo não fique, é bem provável que os treinadores também irão sair. Caso ele fique, é bem lógico que eles fiquem porque em dois anos eles tiveram um ótimo trabalho na temporada de 2016/2017 e um trabalho pífio na temporada de 2017/2018.

Digo isso porque as chances de Spagnuolo ficar são grandes, os motivos são basicamente porque Shurmur é um treinador com especialidades no ataque e não na defesa, por isso, ele necessita de um coordenador defensivo “forte/cascudo” que conheça o elenco. Além disso, os dois já trabalharam juntos no antigo St. Louis Rams (agora, Los Angeles Rams) de 2009 a 2011 quando Steve Spagnuolo era o head coach do time Shurmur era seu coordenador ofensivo.

Photo AP Photo

Chegamos onde eu queria. Finalmente. E agora, como fica nossa comissão técnica? Existem opções no mercado? Quis são?

Os especialistas estão ventilado alguns nomes de destaque mas os principais nomes são de treinadores que já trabalharam ou tiveram alguma experiência com Shurmur no passado:

Para coordenador defensivo:

  1. Steve Spagnulo, coordenador defensivo do New York Giants;
  2. Leslie Frazier, coordenador defensivo do Buffalo Bills – Trabalhou com Shurmur no Eagles durante 199 até 2002. Um treinador experiente que até já foi Head Coach mas se consolidou como coordenador defensivo, tem feito um excelente trabalho no Bills;
  3. Bill Davis, treinador de linebackers do Ohio State – Outro que já trabalhou com Shurmur, porém, foi no Browns, uma escolha direta dele. Bill também foi treinador de LB’s no Giants em 2004 com Tom Coughlin;
  4. Jerome Henderson, treinador de secundária do Atlanta Falcons;
  5. Tim Hauck, treinador de safeties do Philadelphia Eagles.

Para coordenador ofensivo:

  1. Marty Mornhinweg, coordenador ofensivo do Baltimore Ravens – Esse também trabalhou com Shurmur no Eagles de 2006/2008. Dizem ser ele o responsável pelo forte jogo corrido do Ravens;
  2. Gary Brown, treinador de running Backs do Dallas Cowboys – Assim como Bill Davis, Brown trabalho como assistente de Shurmur no Browns  sendo que depois disso fez parte da equipe de Jason Garrett em Dallas e de lá nunca saiu. Um excelente técnico e um dos responsáveis diretos pelo sucesso do jogo corrido em Dallas ao longo dos anos;
  3. Brad Childress, aposentado e ex coordenador ofensivo do Kansas City Chiefs;
  4. Tony Sparano, treinador de linha ofensiva do Minnesota Vikings – Diferente dos demais, Sparano não trabalhou para Shurmur mas faz parte da mesma comissão presente no Vikings. Além de possuir uma vasta experiencia como técnico, Sparano já foi head coach no Dolphins de 2008 até 2011 e já foi coordenador de ataque do Jets em 2012, por isso, é um nome de destaque no momento;
  5. Dave Ragone, treinador de quaterbacks do Chicago Bears;
  6. Todd Haley, coordenador ofensivo do Pittsburgh Steelers.*

*Segundo informações de pessoas dentro da franquia de Pittsburgh a informação é que Todd Haley já pode procurar outros trabalhos.

Photo by AP Photo/Gene J. Puskar

Eu, pessoalmente, não gosto de muitos nomes presentes nessa lista porque essa lógica de trazer pessoas que já fracassaram em projetos anteriores com Shurmur não fica bem. Isso porque a franquia precisa de nomes novos, novos trabalhos e ideias porque a NFL é um esperto que constantemente evolui, seria loucura da direção do Giants achar que poderá fazer novamente um projeto que não deu certo no Browns a milhões de anos atrás.

São pessoas que talvez não vão acrescentar em nada para os jogadores ou podem conturbar mais ainda todos os problemas de vestiário, o melhor aqui, creio que seja procurar nomes com experiências que podem acrescentar novas táticas em um futuro playbook, chega de pensar pequeno, é hora de tirar o melhor que Eli Manning pode oferecer mas também preparar a franquia para outros tempos porque querendo ou não Eli não é para sempre.

Logo, entre esses nomes, os que mais me agradam são o Haley e Brown. Ambos possuem experiência com o jogo corrido e sabem desenvolver playbook. Não são agarrados no “abc” de sempre, sabem fazer jogadas elaboradas e dinâmicas.

Falo tanto de corridas porque Shurmur adora um playbook preenchido com jogadas corridas, afinal, um bom ataque terrestre facilita o trabalho dos QB’s. Essa foi a receita utilizada por ele no Vikings e provavelmente também será a receita usada com Eli Manning e o Giants.

Apesar de tudo, eu acredito que os nomes venham dessa lista mesmo, sem maiores surpresas. Eu vou até além aqui, pelo o que eu li até agora, Shurmur tem trabalhado muito bem com QB limitados e veteranos, que por coincidência é o caso de Eli Manning, então, eu acredito que ele fique com Eli Manning pelo menos nos próximos dois anos se nada de errado acontecer.

Esse é um ponto interessante, digo isso porque caso ele consiga tirar o melhor do Eli Manning mais um jogo corrido competente seria essa a chave do trabalho dele. Para tanto, convido a você, leitor, olhar as necessidades do nosso time, quais são?

Eu tenho certeza que a primeira disparadamente vai ser Running Backs… Por isso, eu digo categoricamente que, caso Saquon Barkley (RB – Penn State) esteja disponível na segunda escolha geral do draft de 2018, a franquia não deixará o jogador escapar, independentemente da quantidade de QB’s classificados e bons existem nessa turma.

Photo by Sean M. Haffey / Getty Images

Ora, acredito também que esse é o mesmo pensamento do Shurmur, caso assuma o Giants, porque não tem lógica alguma trazer esse técnico para trabalhar com um calouro vendo que todo trabalho feito até hoje foi com veteranos e não calouros.

Além disso, vale ressaltar os “instrumentos” de trabalho disponíveis no Giants, são tantos que Dan Duggan (especialista do BJ Advance Media for NJ.com) publicou um artigo (clique aqui para ver o artigo completo) comparando os jogadores do Vikings com do Giants.

Portanto, acredito que esses sejam os próximos passos da franquia:

  1. Fechar com Shurmur;
  2. Fechar com os coordenadores de acordo com as afinidades de Shurmur;
  3.  Trabalhar com Eli Manning e Webb;
  4. Draftar Barkley (se possível é claro…);
  5. Buscar reforços para linha ofensiva e defesa (LB’s, CB’s e Defensive End’s).

Concordam? Não concordam? Deixa nos comentários o que vocês acham que vou responder. Não esqueçam de fazer o download do nosso aplicativo e avaliar ele também. Aproveite e se inscreva no nosso canal no YouTube! 😀

Shares