New York Giants

Giants vs Chargers: O que esperar do jogo?

Será que a primeira vitória na temporada realmente vem? Assim como nós, os Chargers amargam 4 derrotas nos 4 jogos da temporada até aqui. Isso levanta a esperança de vermos o Giants obter a vitória e começar a marchar em busca de algo ainda nessa temporada (o 12-4 vem kkkk).

Entretanto, nós fãs de NFL sabemos que não é assim que a banda toca. Estamos cansados – ou não – de vermos jogos praticamente dados como vencidos acabarem com um resultado totalmente diferente do esperado, o que surpreende e apaixona os fãs dessa maravilhosa liga.

Visto isso, achei necessário elencar pontos para a partida deste domingo, 8 de outubro, contra o San Die… Los Angeles Chargers. Como eu gosto da contradição, busquei sites especializados em análises dos Chargers e vou me inspirar nestes para elencar pontos favoráveis ao adversário, figurando o que pode ser a partida.

Analistas torcedores do Chargers foram bem incisivos em mencionar pontos fracos da equipe do Giants, como a inoperância na contenção do Pass Hush, por exemplo, que vem sendo um problema desde a temporada passada. Nossa linha ofensiva não ajuda a conter pressão e também não ajuda a abrir espaço para o jogo terrestre. Jogadas corridas têm pouco ganho e o Eli sofre muita pressão enquanto tenta encontrar um alvo.

O grande trunfo do Chargers está na presença de Joey Bosa na linha defensiva, forte e incisivo na pressão, junto com o LB Melvin Ingram e o DE Chris McCain. Estes três jogadores têm, combinados, 11 sacks na temporada, sendo Ingram o que tem mais, com 5.5 sacks até agora. Entretanto, na secundária, o time do Chargers conseguiu apenas uma interceptação em toda a temporada até agora – Alô, Eli Manning, vamo sentar o braço, que eu acredito em você.

No ataque, Philip Rivers não conta com sua prole de filhos, mas conta com armas como o Antonio Gates, Keenan Allen, Melvin Gordonque faz suas boas recepções e ganho de jardas após recepção Hunter Herry e Travis Benjamin, jogadores estes que podem e vão dar trabalho para nossa linha de linebackers e secundária. Além disso, Melvin Gordon é um nome a ser levado em conta quando se trata de Running Backs que carregam bem o ataque nas costas – vem com média de 3.1 jardas por carregada até agora na temporada segundo dados estatísticos da NFL.

Tudo isso não adianta de nada, já que o Chargers chutou o mito supremo Younghoe Koo. Sério, eu estava com mais medo dessa partida antes do Chargers liberar o Koo, mas agora eu to mais tranquilo, mesmo que um dos analistas tenha dito que “In all seriousness, I think the Bolts defense finally finds a way to force some turnovers and Nick Novak seals the game with a field goal as time expires.” – Audacioso em dizer que o Giants perderá mais uma partida no apagar das luzes com um field goal, o excelentíssimo senhor Ryan Doyle do Bolts From The Blue – SB Nation.

Já falei demais do Chargers, vou parar antes que pensem que estou do outro lado da força e vamos tratar do maior de Nova York – e da NFC East também. Já obtivemos nossas 4 derrotas na temporada, agora, segundo minhas previsões, teremos 12 vitórias e iremos para os playoffs, começando com esse jogo contra o Chargers.

Brincadeiras e ilusões a parte, é realmente uma grande oportunidade de pôr a cabeça no lugar, enfrentando um adversário relativamente mais fraco que os das 4 primeiras semanas (ter que considerar o Eagles como forte me dói).

Seguimos com problemas em muitos lugares da equipe, tanto no plantel técnico e tático, quanto no quesito humano – este que pode ser saneado com uma vitória, esperamos – e os outros se nossas peças repositórias se encontrarem em seu melhor dia neste domingo contra o Chargers.

É uma partida para ver nomes como Landon Collins brilhar, ou outros da secundária – espero mais um brilhantismo de todo o corpo de defensives backs, tanto no quesito de defesa de passe quanto nos tackles. O jogo do Chargers é mais balanceado que o nosso, eles têm bons recebedores e forte presença dos Tight Ends nesse quesito, e também dispõem de ótimo jogo corrido. Jardas nós cederemos aos montes, mas reafirmo que é a partida para vermos a atuação dos DB’s em interromper jogadas e, quem saber, forçar turnovers, fazendo o status daquela Defesa que tivemos em 2016 refletir novamente nessa temporada.

Temos problemas no Front Seven, Olivier Vernon e Jason Pierre-Paul ainda são questionáveis para a partida, falta que, se confirmada, refletirá e afirmará no jogo o que mencionei acima sobre cedermos jardas, já que são os principais jogadores na tentativa de impedir o ataque adversário de fazer algo. Nossa linha de Linebackers não é tão confiável, é difícil olhar para este grupo de jogadores e esperar algo mágico, então fica a esperança para os defensive backs e para a ­má qualidade dos passes do Rivers – Presenteia nós com uns passes ruins ou direto para nossos DB’s, seu lindo.

Como eu já mencionei, o Chargers só teve uma interceptação em toda a temporada, isso mostra a qualidade da sua secundária, o que pode ser um baile para nossos recebedores dançarem e comemorarem boas jogadas, avanços gigantescos, boas recepções e touchdowns – Que deus Tebow me ouça. Desmond King, Tre Boston e Jahleel Addae são os jogadores que iniciaram os jogos até aqui na secundária do time de Los Angeles e com todo respeito ao Chargers e aos torcedores são tão relevantes que só vim saber da existência deles agora que vim estudar sobre a partida.

Respondendo à pergunta do título: O que esperar do jogo?que vai ser um bombardeio a nível de Alemanha vs Inglaterra na Segunda Guerra Mundial, com avanços terrestres bem loucos do Eixo sobre território Aliado – mas que no final de tudo, encontraremos apoio no ataque aéreo para acabar com esses avanços e imprimir força contrária, conquistando território e convertendo posses de bola em pontuações.

A esperança é a última que morre. 12-4 vem. Super Bowl já é realidade. Você acredita? #GoGiants. 😛

Shares