História Completa

História dos Giants: Super Bowl XXI

25 de janeiro de 1987.

O estádio Rose Bowl, na cidade  de Pasadena, estado da California, foi o local escolhido para sediar a 21ª edição do Super Bowl. De um lado, representando a NFC e tentando o seu primeiro título desde 1956, o New York Giants. Do outro, como representante da AFC e na sua segunda disputa da grande final, o Denver Broncos.

Com uma campanha 14-2 da temporada regular, os Giants iam para o seu primeiro Super Bowl tentando apagar de vez os fantasmas criados nessa nova era do esporte. Mesmo com uma grande torcida e muita tradição, alguns fracassos nas últimas décadas atormentavam os G-Men. Ao mesmo tempo, o grupo tinha a consciência da sua força, liderados pelo linebacker Lawrence Taylor e o quarterback Phil Simms.

A defesa, sem dúvida alguma, era a especialidade da casa e do treinador Bill Parcells. Além do monstro L.T., o setor era  chamado de “Big Blue Wrecking Crew“, atuando na formação 3-4 e que, para muitos, é até hoje a melhor defesa que já existiu na NFL. Com uma linha defensiva que tinha George Martin, Leonard Marshall e Jim Burt, e um grupo de linebackers com Taylor, Gary Reasons, Harry Carson e Carl Banks, simplesmente nenhum adversário se sentia à vontade para enfrentar aqueles caras. Que o diga Joe Montana, “apagado” na partida anterior, que decidiu a Conferência e mandou os Giants para Pasadena.

No ataque comandado por Simms (3.487 jardas, 22 touchdowns e 22 interceptações), o destaque era o jogo corrido, puxado pelo running back Joe Morris (1.516 jardas terrestres e 14 TDs, recorde da franquia na ocasião). Auxiliando por terra, o fullback Maurice Carthon e a linha ofensiva que tinha, dentre outros, Brad Benson e Karl Nelson. Mas também havia gente boa recebendo passes. Embora o melhor alvo fosse o tight end Mark Bavaro (66 recepções, 1.0001 jardas e 4 TDs), o grupo de receivers, se não espetacular, ao menos era muito entrosado e eficiente, dividindo entre si o trabalho no ataque, com destaque para Stacy Robinson.

Pelo lado dos Broncos (11-5), obviamente, John Elway era a estrela. No seu quarto ano na liga, o QB havia conquistado naquele ano 3.480 jardas aéreas e 19 touchdowns, sem contar outras 257 jardas com as próprias pernas. Pelo chão, destaque para Sammy Winder, com suas 789 jardas e 9 touchdowns, muito por conta do ótimo trabalho da linha capitaneada por Keith Bishop. Na defesa, eles tinham a menor quantidade de pontos cedidos em corridas, com destaque para Rulon Jones na frente, para os linebackers Tom Jackson e Karl Mecklenburg, e para uma secundária afiadíssima, com Dennis Smith Louis Wright, dentre outros.

O JOGO

Denver começou com a bola. Após alguns bons passes de Elway, a defesa de New York conseguiu parar uma tentativa de terceira descida no nosso campo, fazendo com que o adversário tivesse que tentar o fieldgoal, anotado por Rich Karlis, da linha de 48 jardas. Na sua primeira campanha, Simms, conectou ótimos passes, alternando os tipos de jogada. Após avançarem 72 jardas, o TE Zeke Mowatt recebeu passe curto de Simms na redzone, completando um touchdown de 6 jardas. Era o primeiro dos Giants na história do evento. Na sequência, o retornador Ken Bell colocou os Broncos próximos da metade do campo. Com duas faltas de 15 jardas em sequência, uma de Carson e outra de Taylor, Elway ficou em uma ótima posição de pontuar e foi isso o que ele fez, correndo para um TD de 4 jardas.

Imagem: US Presswire

O segundo período foi um show de defesa, dos dois lados. Os Giants perceberam que não poderiam, de forma alguma, deixar um QB do calibre de Elway à vontade, e começaram a forçar o camisa 7 a sair do pocket. Ainda assim, Denver perdeu duas chances de pontuar em fieldgoals de Karlis, em distâncias consideradas fáceis: um de 23 e outro de 34 jardas. Segundo o próprio kicker declarou posteriormente, os seus dois erros foram fundamentais para abalar o moral de todos os seus companheiros, fazendo com que ele se sinta culpado até hoje por aquele fracasso. Pouco antes do two-minute warning, pela primeira vez na história dos Super Bowls foi utilizado o recurso de rever o lance pelo replay, numa tentativa de ataque dos Broncos. Para a nossa felicidade, os árbitros declararam que o receiver não tinha o domínio da bola, o que foi crucial para nós, pois, no lance seguinte, George Martin sacou Elway na endzone do adversário e conquistou um safety para os Giants.

Imagem: NetBrawl

Na volta do intervalo, a bola era de NY. Logo no primeiro drive, os G-Men se viram diante de uma quarta descida para apenas uma jarda. Parcells, então, deu um golpe doloroso nos Broncos. Enquanto o punter Sean Landeta se preparava para chutar a bola de volta para o oponente, o treinador posicionou o quarterback reserva, Jeff Rutledge, como bloqueador. Porém, sem que os especialistas de Denver se dessem conta, Rutledge moveu-se para o meio, recebendo a bola e partindo para um sneak, conquistando assim a primeira descida para os Giants. A campanha só terminaria com um TD de 16 jardas, de Simms para Bavaro. Com os Broncos atordoados com os acontecimentos recentes, aquele era o momento para abrir uma vantagem considerável. Com um fieldgoal de 21 jardas anotado por Raul Alegre e um TD de 1 jarda conquistado por Morris, os Giants entrariam no último período com uma bela liderança de 16 pontos.

Com 15 minutos apenas para tentar reverter a desvantagem, Elway foi com tudo para cima da nossa defesa mas, numa tentativa de passe, acabou sendo interceptado por Elvis Patterson. Na campanha seguinte, Simms completou um passe de 36 jardas para Robinson e, a seguir, um de 6 para Bavaro na endzone. O tight end não conseguiu agarrar a bola, mas a sorte de campeão estava presente quando ela, após bater na ponta dos dedos de Bavaro, caiu “no colo” do WR Phil McConkey. Depois de muito tempo os Broncos voltaram a marcar, novamente com o kicker Karlis, num chute de 28 jardas. Logo na jogada seguinte, porém, Anderson correu mais duas jardas para anotar o seu segundo TD da noite. Ninguém lamentou o extra point desperdiçado por Alegre, exceto pelo fato de que aquele ponto teria nos dado incríveis 40 pontos no placar, algo difícil em Super Bowl. Os Broncos dariam números finais ao jogo, num passe espetacular de Elway para Vance Johnson, que marcou um TD de 47 jardas, o 100º da história da grande final.

PLACAR FINAL: BRONCOS 20 x 39 GIANTS

Fim de partida! Giants campeões do Super Bowl pela primeira vez. Na lateral do campo, Carson inaugurava a história do “Gatorade Shower“, despejando litros gelados do isotônico sobre o treinador Parcells. Logo após a disputa, o MVP da noite, Phill Simms, dava início também a um bordão que se tornou outro clássico dos esportes americanos. Perguntado por um repórter no comercial sobre o que faria a seguir, Simms respondeu: “Eu vou para a Disneilândia!” Muito além disso: todos eles foram para a história.

Imagem: Associated Press

*Continue lendo, aqui.

Shares