Considerando as partidas inconsistentes que os Giants tiveram nas primeiras rodadas da temporada regular da NFL, nem o mais otimista podia esperar pelo que viria a seguir.



Já no primeiro snap do jogo, uma falta dos Redskins deu aos Giants mais 15 jardas. Isso seria recorrente durante toda a partida. Com uma falta na hora da cobrança do punt, os Redskins começam seu drive na linha de 2 jardas, e Kirk Cousins conseguiu lançar um bom passe para Niles Paul e depois ele mesmo correu, dando aos Redskins dois first downs. Na sequência, começaria o pesadelo de Cousins. Num ótimo trabalho da defesa, Mathias Kiwanuka aparece fazendo o sack, forçando fumble, recuperado por Cullen Jenkins. Com os Giants tendo a posse da bola novamente, começaria o show de Eli ManningLarry Donnell. O tight end aparece como opção em duas oportunidades, na segunda abrindo o placar fazendo a recepção na endzone. Eram os Giants que nós conhecíamos, sem chegar na “porta do céu” e ter que se contentar com o field goal. A defesa dos Giants estava praticamente anulando o ataque dos Redskins, ajudada pelas inúmeras faltas que cometia a equipe de Washington, como, por exemplo, na campanha em que o time conquista um first down, mas a jogada é anulada e eles têm uma primeira para 20. Depois disso, os Giants recebem a bola e iniciam um drive, que terminaria em mais um touchdown de Larry Donnell, já no segundo quarto, dando um baile em Brandon Meriweather.

No segundo quarto, começariam as polêmicas na arbitragem. Cousins lança para DeSean Jackson, o jogador faz a recepção, arrasta os pés e sai de campo. Os árbitros deram passe incompleto e os Redskins desafiaram. Ao rever a jogada, a marcação de campo permaneceu como passe incompleto. Mesmo continuando a cometer faltas, os Redskins chegam ao touchdown em passe de Cousins para Andre Roberts. Víamos um Eli Manning totalmente diferente. A esta altura ele só não havia completado dois dos passes que lançou, e os dois foram drops. Eli exalava confiança, e os Giants conseguiam converter as terceiras descidas. E assim, Donnell anotou mais um touchdown. Os Redskins conseguiram chegar à linha de 26 jardas do campo de ataque, depois de um longo passe de Cousins para Niles Paul e de uma interferência no passe cometida por Quintin Demps. Mas, na sequência, Logan Paulsen sofre fumble, que é recuperado por Trumaine McBride. Com apenas alguns segundos no relógio, os Giants vinham para mais um drive. Eli Manning lança um passe incompleto, mas os Redskins apareceram novamente com falta, desta vez uma interferência, que colocou os Giants em posição de field goal. Na sequência, Eli Manning é sacado por Ryan Kerrigan, perdendo a boa posição em campo com 8 segundos por jogar no primeiro tempo. Eli Manning lança para Victor Cruz, que conquista o first down e sai de campo com 1 segundo no relógio. Josh Brown converteu um field goal de 29 jardas e as equipes foram para os vestiários com a vitória parcial dos Giants, 24-7.

Já na primeira campanha do segundo tempo, parecia que veríamos uma reação dos Redskins. Contando com a falha na marcação dos Giants, Cousins encontra Roy Helu livre, o jogador conquista o first down e muito mais. Depois de passe de Cousins para Pierre GarçonWashington chega à linha de 20 jardas e Alfred Morris corre para a endzone. Tudo isso em apenas 2 minutos. No drive seguinte, a defesa dos Redskins para o ataque dos Giants, que havia convertido as últimas seis terceiras descidas. A defesa dos Giants falharia na marcação novamente quando Alfred Morris recebe passe e avança livre. Mas não era a noite de Cousins e companhia. Num passe totalmente telegrafado, Cousins é interceptado por Prince Amukamara, com o jogador retornando até a linha de 21 jardas. E então as zebras aparecem novamente. Eli Manning lança pra endzoneRueben Randle faz a recepção e sofre o tackle, perdendo a bola que fica com os Redskins. Os árbitros deram interceptação, o que permaneceu depois da revisão. Mas foi claramente touchdown. Justiça seja feita, logo na sequência Cousins lança uma bomba e é interceptado por Demps. E os Giants chegam ao touchdown, desta vez em passe para Daniel Fells. No fim do quarto, Cousins é interceptado novamente, agora por McBride.

O último quarto começa com Eli Manning correndo para o touchdown, coroando sua grande atuação. Na sequência, veríamos Cousins em maus lençóis novamente. Depois de ser sacado por Damontre Moore, Cousins lança a bola e é interceptado por Antrel Rolle. Os Giants fechariam o placar com Andre Williams numa corrida de 2 jardas para o touchdown. Com a vitória assegurada, pudemos ver alguns reservas em campo, como Ryan NassibPeyton Hillis Adrien Robinson.

Os Giants se comportaram da forma que todos querem, e provou para todo o mundo que não é uma equipe sem qualidade. Eli Manning com seus cinco touchdowns é o Eli Manning que conhecemos. Larry Donnell e seus três touchdown nos provaram que temos um tight end. Daniel Fells com seu touchdown provou que temos dois tight ends. O ataque foi impecável. A defesa dos Giants, apesar de momentos ruins no início do segundo tempo, foi excelente. Pressionando o quarterback, forçando seis turnovers. Uma noite de gala para a secundária dos Giants, que, apesar de ter perdido Dominique Rodgers-Cromartie no primeiro tempo, fez uma grande partida, não só pelas interceptações, mas principalmente pela excelente cobertura.

Eu não via uma partida assim desde 2012. Eu vi os Giants que conseguiram viradas emocionantes contra Buccaneers (41-34) e Cleveland Browns (41-27), os Giants que dominaram o San Francisco 49ers (26-3) fora de casa, os Giants que massacraram Green Bay Packers (38-10), New Orleans Saints (52-27) e Philadelphia Eagles (42-7).

Que o Atlanta Falcons se cuide, pois tem um New York Giants embalado vindo aí.

Placar Final: New York Giants 45 x 14 Washington Redskins
*Melhores momentos, aqui.


Clique e garanta seu ingresso com desconto!