O caminho que separa o Giants do Super Bowl LI em Houston no dia 05 de fevereiro foi montado quando o Green Bay Packers venceu o Detroit Lions por 31-24 garantindo a vaga aos playoffs e faturando divisão norte da NFC. A primeira parada já tem data marcada para domingo (08 de Janeiro) contra o Packers no temido Lambeau Field.



Já a segunda vai depender de alguns resultados, porém, também é possível determinar quem serão os adversários do Giants e que todos os jogos daqui para frente serão fora de casa a menos que Detroit Lions faça a final de conferência conosco. Vamos as possibilidades:

  • Vitória do NYG e Detroit – Giants vs Falcons – Faríamos a final da conferência contra o vencedor de Dallas vs Detoit;
  • Vitória do NYG e Seattle – Giants vs Dallas – Faríamos a final da conferência com o vencedor Seattle vs Atlanta.

Photo by CHARLES KRUPA

Convenhamos que nesse ponto do campeonato não existam mais razões para escolher adversários porque todo jogo será uma “final” e para isso vamos ter que ganhar os nossos antes de qualquer coisa, por isso, vamos conhecer todos os possíveis adversários da NFC. Vale ressaltar que não vamos falar sobre o Green Bay Packers aqui porque outra crônica será feita especificamente para ele em “conhecendo o adversário” (para ler o artigo clique aqui).

  • 1. Detroit Lions (9-7):

Photo by Getty Images

Visão geral: Classificado aos playoffs com a última vaga de wildcard graças à vitória do Giants sobre o Redskins. Seu ataque apresenta um poder de fogo semelhante ao do Giants e com dificuldades também semelhantes. A franquia junto do QB Matthew Stafford possuiu 4.111 jardas lançadas cumuladas para 24 TD mas sofrendo 10 interceptações e 37 sacks o que demonstra uma Offensive Line não tão confiável.Já o jogo terrestre tem míseras 1.310 jardas para 9 TD isso porque o ataque terreste sofreu muito durante toda temporada com diversas lesões entre os RB Ameer Abdullah, Theo Riddick e Dwayne Washington sendo obrigados a jogar com o quatro RB diferentes durante toda a temporada terminando com Zach Zenner que está demonstrando talento, bem como fazendo bons jogos na reta final. Quanto à defesa do time encontra-se em reconstrução e não teve números bons durante a temporada regular somando apenas 26.0 sacks, 10 interceptações e 8 fumbles forçados.

Destaques: O corpo de WR’s (A. Boldin, Golden Tate e Marvin Jones) tem dado trabalho para as defesas pela quantidade de big plays, porém, é injusto não citar o TE Ebron e RB Zach Zenner que também são peças importantes nesse ataque, principalmente, nessa reta final ambos têm aparecido bastantes.

Conclusão: Dos classificados parece ser o menos competitivo porque possui carência de elenco em alguns setores e com o plano de jogo certo as defesas podem chegar em Matthew Stanfford sem maiores dificuldades mas fica sempre o ponto de atenção para força no braço que o qb de Detroit porque conclui jogadas quando as defesas menos esperam.

  • 2. Dallas Cowboys (13-3):

Photo by Getty Images

Visão geral: Melhor campanha da NFC cravada, por isso, vai jogar todos jogos em casa e de quebra ganhou uma semana de descanso nos playoffs, pois ficará aguardando o vencedor do round wildcard. Será nosso adversário caso o Giants e Seattle vençam seus jogos, mas levando em consideração unicamente o jogo de Seattle x Detroit, provavelmente, Seattle é de longe o favorito não só pelo elenco e sim por ser um time que fica ainda mais forte nos playoffs quando joga em casa. Dallas possui um ataque pelo ar eficiente somando 3.631 jardas lançadas para 25 touchdowns e apenas 6 interceptações.

Esses números são frutos de um ataque muito sistemático que tem como engrenagem principal o calouro Dak Prescott que  deu dimensão e profundidade ao ataque sabendo explorar bem as armas do time e, principalmente, achar o ponto vital entre as corridas de Elliot e seus lançamentos. Esse é de longe o adversário mais completo que podemos enfrentar, porém, a franquia de New York já venceu Dallas duas vezes nessa temporada sendo o tempero perfeito para esse caldeirão de rivalidade que irá acontecer caso os times venham a se enfrentar pela terceira vez nessa temporada.

Outro aspecto importante do ataque é o jogo terrestre de Dallas que conta com o também calouro Ezekiel Elliott com ajuda de uma das melhores linhas ofensivas da NFL tem sido a dor de cabeça de todo coordenador defensivo, os números falam por si só, são 1.631 jardas para 15 TD na temporada de calouro, um feito inimaginável para qualquer jogador. Quanto à defesa de Dallas, o time não possui nada de exorbitante, entretanto, é impossível não citar a máquina de tackles LB Sean Lee um excelente defensor que possui uma visão tática fora dos padrões normais, bem como é um líder para essa defesa.

Destaques: Dak Prescott, Ezekiel Elliott, Dez Bryant e Sean Lee.

Conclusão: A combinação Prescott + Elliott + OL (Tyron Smith, Ronald Leary, Travis Frederick, Zack Martin e Doug Free) tem sido uma arma fatal contra qualquer adversário. Se fosse possível tentar qualquer previsão aqui seria achismo demais porque além de serem playoffs é uma das maiores rivalidades da NFL, por isso, caso o Giants venham a enfrentar novamente Dallas, só que agora nos playoffs, será um duelo inesquecível da defesa do Giants x o ataque de Dallas e provavelmente a partir disso seja ditado o resultado do jogo, uma vez que o ataque do NY Giants não vem de excelentes atuações.

  • 3. Seattle Seahawks (10-5-1):

Photo by Steven Bisig-USA TODAY Sports

Visão geral: Não é segredo para ninguém que o ataque de Seattle não começou bem a temporada devido a falta de uma linha ofensiva para proteger o QB Russel Wilson, foram nada menos do que 41 sacks sofridos, é muita pancada. Além disso, o jogo corrido não contribuiu para o esquema tático de Seattle visto que contavam com Thomas Rawls, C.J. Prosise e Christine Michael (mais tarde foi dispensado) sendo que o backfield ficou em tamanha inconsistência – 1.591 jardas para 13 touchdowns – devido a lesões e má atuações que prejudicaram até mesmo Russel Wilson que apesar de todos os sacks levados conseguiu chegar a 4.219 jardas para 21 touchdowns tendo como principal alvo WR Doug Baldwin (1.128 jardas para 7 touchdowns).

Quanto a defesa, dispensa qualquer comentário, sempre fazendo um excelente trabalho e levantando o time quando ele mais precisa. A título de curiosidade, para compensar tantos sacks que Russel Wilson tomou, a defesa de Seattle distribuiu 42 sacks, 11 interceptações, e 16 fumbles forçados é uma baita marca para qualquer defesa que tem sido liderada esse ano por LB Bobby Wagner, líder em tackles do time com 85 no total. Quem também merece destaque é DL Cliff Avril que chegou a 11.5 sacks, melhor marca do time.

Destaques: Russel Wilson, Doug Baldwin, Jimmy Graham, Bobby Wagner, Richard Sherman, Kam Chancellor, Cliff Avril e Michael Bennett.

Conclusão: O grande “X” da questão com Seattle é porque além de ser um time com uma defesa muito forte, ele tem uma característica de crescer ainda mais em jogos nos playoffs, principalmente, quando joga em casa (fator torcida). Por isso, Seattle é tão temido nos playoffs e um forte candidato ao título.

  • 4. Atlanta Falcons (11-5):

Photo by Jason Getz/USA TODAY SPORTS

Visão geral: Atlanta possui um dos melhores ataques da liga junto do Cowboys, se formos juntar o melhor de cada um, o ataque dos sonhos seria o jogo de passes de Atlanta com o jogo corrido de Dallas, por isso, foi fácil garantir a segunda melhor campanha entre os ganhadores de divisão ganhando o direito de aguardar o vencedor do round wildcard e descansar uma semana.

Possui um ataque extremamente completo seja por passes ou corridas, isso tudo graças ao trabalho feito pelo coordenador ofensivo Kyle Shanahan com QB Matt Ryan que chegou a incrível marca de 4.944 jardas  para 38 touchdowns, uma temporada de elite que merece ser coroada com um MVP. Mas ele não chegou sozinho aí, ao lado Matt Ryan, a franquia de Atlanta conta com WR Julio Jones (1.409 jardas e 6 TD) e RB Devonta Freeman (1.079 jardas e 11 TD) um triangulo que rendeu  ótimos frutos durante toda a temporada.

Quanto a defesa não ficou no mesmo nível que o ataque mas alguns bons frutos foram colhidos durante a temporada, Deion Jones e Keanu Neal lideram o time em tackles mas o maior destaque foi Vic Beasley, uma máquina de sacks que ultrapassou a marca de Von Miller (LB – Denver Broncos) e deixando a marca de 15.5 sacks na temporada regular. Esses fatores somados contribuíram para uma defesa razoavelmente boa contra o jogo corrido, porém, nem tanto quanto aos passes totalizando a quinta pior defesa nesse quesito.

Destaques: Matt Ryan, Julio Jones, Devonta Freeman, Vic Beasley, Keanu Neal e Deion Jones.

Conclusão: É um baita time a ser derrotado porque possuiu um ataque extremamente forte. Caso o Giants venham a enfrentar Atlanta nos playoffs seria um jogo também marcado pela Defesa de NY x Ataque de Atlanta em campo. Matt Ryan é um excelente líder e deseja esse título como ninguém, por isso, é um dos principais jogadores a serem vigiados de perto porque já demonstrou que não depende exclusivamente de WR Julio Jones para vencer jogos demonstrando outros nomes no elenco como WR Taylor Gabriel, WR Mohamed Sanu e RB Tevin Coleman. Por fim, não é um time impossível de ser derrotado e já foi demonstrado como durante a temporada regular, uma defesa consistente impedindo os passes e deixando Matt Ryan o máximo possível sem a bola são fatores que somados podem prejudicar toda a belíssima campanha feita durante  a temporada regular.

Esses são nossos possíveis adversários caso o Giants vença domingo o Green Bay Packers. Gostou? Prefere que o Giants enfrente algum time desses? Comenta aí. 😀


Clique e garanta seu ingresso com desconto!