Conhecendo o Adversário

Conhecendo o Adversário: Detroit Lions

Photo by prideofdetroit.com

Vindo de uma importante vitória por 10 a 7 contra o rival de divisão Dallas Cowboys (11-2), o New York Giants (9-4) agora recebe o Detroit Lions (9-4) para tentar ficar mais próximo da vaga nos playoffs e, porque não, sonhar com tropeços do time de Jerry Jones e conquistar a NFC East. Matematicamente ainda é possível.

O time do Detroit Lions é hoje o líder da NFC North, com dois jogos de vantagem sobre o Minnesota Vikings e sobre o Green Bay Packers (ambos 7-6), o que dá uma certa tranquilidade para o QB Matthew Stafford e cia. Mas apesar desses números, não é um time que tem jogado um football vistoso, mas sim, objetivo. Das nove vitórias que tem na temporada, oito vieram em viradas no último quarto e muitas delas por menos de três pontos de diferença.

  • Como está o ataque sem Calvin Johnson

A maior dúvida sobre o time de Detroit antes do início da temporada era como seria a “vida pós Megatron”. A aposentadoria do WR futuro Hall of Fame, Calvin Johnson, abriria um buraco no ataque do time que, na teoria, não teria um recebedor digno de ser o número 1 da franquia. Após a temporada iniciada, o que pudermos ver foi diferente. o QB Matthew Stafford passou a distribuir mais a bola entre seus alvos e jogadores como Golden Tate e Marvin Jones Jr assumiram o posto de ameaças aéreas para este ataque. Olhando as estatísticas, é uma unidade mediana, ocupando a 17ª colocação em pontos totais na temporada e a 21ª em jardas por jogo (em ambas as estatísticas estão à frente do Big Blue).

  • Segredo está na defesa

O segredo dos Lions nesta temporada pode ser comparado ao dos Giants. A defesa tem aparecido. Para se ter uma ideia, o Big Blue ocupa o posto de 14ª defesa em jardas cedidas por jogo e a defesa de Detroit é a 15ª. No diferencial de turnovers, eles estão ainda melhores: +4 contra -5. É também a 10ª que menos cede pontos na temporada, sendo que a nossa é a 7ª. Como podemos ver, estamos muito próximos em quase todas as estatísticas de defesa, o que justifica as campanhas parecidas.

  • Nada de especial no Special Team

Na terceira fase do jogo, o time de especialistas, o Detroit Lions não tem nada de especial, assim como o Giants também não o tem. São unidades que até o momento não comprometeram partidas, mas também não foram decisivas para vitórias. O destaque aqui fica para o kicker Matt Prater, que detém o recorde de Field Goal mais longo da NFL, com 64 jardas, conseguido em 2013 quando jogava pelo Denver Broncos.

Para ganhar esta partida, o New York Giants precisará contar com sua defesa para segurar o ataque aéreo comandado por Stafford. Para ajudar, o QB adversário está com uma lesão de rompimento dos ligamentos no dedo médio da mão direita (a dos arremessos) e terá que jogar com uma luva de proteção, o que pode afetar a precisão de seus arremessos. O clima também deve ser um fator, uma vez que a previsão para o dia da partida é de chuva, com máxima de 8ºC e mínima de -3ºC. Se sem frio, uma lesão deste tipo já é dolorida, com frio a situação deve ser pior.

No ataque, os Giants terão que encontrar uma solução para as falhas da Linha Ofensiva durante a semana. Eli Manning teve muitas dificuldades para conseguir tempo para as leituras contra o Dallas Cowboys, sofrendo dois sacks com fumbles pelo lado cego, protegido pelo LT Ereck Flowers e que vem sendo muito criticado pelos erros, principalmente nos fundamentos básicos da posição, algo que um jogador de segundo ano na NFL tendo sido titular em todas as partidas até agora não pode cometer.

Shares