Fala galera do Giants Brasil! Beleza? Passado um mês do draft mais controverso dos últimos tempo para o lado de Nova Iorque, várias análises começam a ser feitas com mais calma. E uma das mais importantes até agora é favorável ao nosso novo QB, Daniel Jones.



Para o analista Brian Baldinger, da NFL Network, “Daniel Jones é a escolha certa para os Giants”. E ele explica esta afirmação com pontos interessantes sobre o jogador, que abordaremos um pouco mais adiante. Brian vai de encontro ao que Mike Shula (nosso coordenador defensivo) disse durante o início desta pré-temporada, ambos concordam que Daniel Jones jogará este ano pelos Giants. Caso haja necessidade (leia-se, dúvidas quanto à Eli Manning), ele será titular na semana 1.

“Ele vai jogar algumas vezes este ano! Quanto mais eu estudo [o Daniel Jones], mais eu gosto dele!” (Brian Baldinger)

Quanto aos pontos levantados, há muito o que se discutir, mas, Baldinger propõe as seguintes reflexões:

  • Daniel Jones joga sozinho

Em Duke, o QB não teve bons recebedores ao seu redor, ou seja, ele tem facilidade em jogar sem ajuda alguma ao seu redor. O último jogador de Duke selecionado num Draft foi Jamison Crowder (Washington Redskins) em 2015. Desde então não tivemos jogadores de Duke selecionados nas 7 rodadas de qualquer Draft. O que Brian deixa claro aqui é que Jones não jogou com bons recebedores durante sua carreira universitária e que teve números bons para o cenário apresentado ao seu redor.

  • Daniel Jones tem apenas 59,9% de passes completados

Sim, ele não tem bons números de passes completados, mas, vale lembrar que os recebedores não ajudavam muito. O que explica este número muito baixo. Se Jones estivesse na Liga em 2018, ele seria o 48º neste quesito. Porém, estaria à frente de Lamar Jackson (Baltimore Ravens), por exemplo.

  • Daniel Jones tem mobilidade

Por incrível que pareça, nosso cover de Eli Manning tem bastante mobilidade. A linha ofensiva dos Giants não é a melhor de todas, mas a de Duke é pior. Em 2018 eles ficaram em 83º em pressão cedida, numa Liga com 130 times. Péssimo. Apesar disso, como já dissemos, Daniel conseguiu completar 59,9% dos passes. Além disso, ele correu as 40 jardas do Pro Day de Duke em 4,67 segundos, o que é melhor do que Dwayne Haskins, que fez o mesmo exercício em 5,04 segundos no Combine.

Photo by NJ.com
  • Daniel Jones ao invés de Dwayne Haskins

Esta talvez seja a questão mais fácil de se responder para Baldinger. Em Duke, Daniel não tinha bons recebedores. Em Ohio, Haskins tinha dois excelentes nomes, Johnnie Dixon e Parris Campbell. Para Brian, Dwayne Haskins poderia facilmente fazer um passe de 5 jardas que Campbell iria receber a bola e correr o campo todo para o Touchdown.

  • Daniel Jones vai aumentar o nível do ataque dos Giants

Este é talvez o mais polêmico de todos os pontos citados anteriormente. Duke não é uma universidade de primeira linha da NCAA. Então, como um jogador que não jogou contra os melhores pode agregar tanto a ponto de melhorar o ataque de um time profissional? Talvez ele diga isso por conta do que foi apresentado acima e, principalmente, porque Daniel Jones é um QB mais móvel do que Eli e isso com certeza o ajuda a criar mais situações de ataque.

E para vocês, caros leitores. Daniel Jones dever ser titular ainda nesta temporada? Não esqueçam de nos seguir nas redes sociais! 😀


Clique e garanta seu ingresso com desconto!