Fala galera do Giants Brasil! Beleza? Inter temporada rolando e muitas discussões em torno das escolhas de Draft e da montagem do time. Porém, há uma questão tão importante quanto o Draft e que pouco se comenta que é a Free Agency.



Para este ano os Giants têm, neste exato momento, aproximadamente 27 milhões de Dólares. Considerando que o Draft irá consumir cerca de 11 milhões de Dólares, nós teremos apenas 16 milhões de Dólares para trazer jogadores na Free Agency além de manter Landon Collins no elenco. Ou seja, a estratégia entre Draft e Free Agency (FA) terá que ser impecável caso o time queira ir bem na temporada 2019.

Mas se o nosso Cap é tão baixo, qual seria a mágica que poderemos fazer numa Free Agency? Primeiro ponto é entender as reais necessidades do time. Todos sabemos que entre ataque, defesa e times especiais, é a nossa defesa que precisa de maior quantidade de bons jogadores. É sabido também que a nossa OL tem que ser reforçada, que precisamos de um novo QB, mas o principal problema do ataque é o esquema de jogo. Portanto, farei uma análise baseada em algumas necessidades já divulgadas pela imprensa: Quarterback (QB), Offensive Line (OL) e Defensive Line (DL).

Nós tentaremos a seguir dar uma idéia para vocês de como funciona a mesclagem entre Draft e FA.

  • Landon Collins

Este tópico só está aqui por um propósito, só lembrar o senhor Mara que: RENOVEM COM O IRON MAN! PAGUEM OS 9,3 MILHÕES QUE ELE MERECE. Sem mais, obrigado!

  • Olivier Vernon

Infelizmente, o nosso principal Linebacker (LB) não foi em 2018, nem de longe, o jogador que nós esperávamos. Por causa do baixo desempenho e alto salário, cortá-lo é visto como algo muito provável de acontecer. Com o corte ou troca dele teremos um espaço no Cap de 11,5 milhões de Dólares. Há ótimos nomes no mercado para o lugar dele. Um bom jogador e que adicionaria muito para nós é Frank Clark do Seattle Seahawks. Sim, Clark não é Linebacker, é um Defensive End (DE), porém, podemos buscar no Draft um LB com boa perspectiva futura. Hoje como principal nome para a posição no Draft (e que estará disponível na 6ª escolha) temos Devin White da Universidade LSU, com estimativa de ser escolhido próximo da 10ª escolha. Ou, em caso de segunda rodada, o melhor para nós seria Mack Wilson da Universidade de Alabama.

Vocês podem até se perguntar o motivo de eu preferir a dispensa de Vernon, a contratação de Clark e o Draft de White/Wilson. A lógica é simples e já expressei minha opinião sobre escolher um QB no Draft deste ano: para mim não é primordial em 2019 pensando na reconstrução do time e que a classe de QB não é das melhores. Além do que, Justin Herbert, sonho de Dave Gettleman, estará no Draft somente em 2020.

Eu gostaria de subir para escolher Nick Bosa (DE/Edge de Ohio State), mas, isso atrapalharia e muito as nossas escolhas em 2019 e 2020. Nesta linha, faria a movimentação da seguinte forma: Corte de Vernon, Contratação de Clark, Draft de White/Wilson. Desta forma reforçamos a DL e conseguimos um bom nome para o corpo de LB.

Photo by Giants.com

  • Nate Solder

Eu particularmente gostei de Nate Solder nos Giants. Porém, precisamos analisar o aspecto de que ele já tem 31 anos e tem um salário muito alto. Pensando em economia, se trocarmos Solder (não pode ser dispensado) aumentaremos em 5 milhões de Dólares no Cap e podemos pegar na primeira rodada o Left Tackle (LT) Greg Little da Universidade de Mississipi, prospecto de 13ª escolha. Caso nós escolhamos Devin White (tópico acima) e deixemos a segunda rodada para trazer o nosso LT, o provável nome para a rodada 38 seria Andre Dillard da Universidade de Washington State. No caso de OL, não há grandes nomes baratos e disponíveis na FA, sendo o Draft será o melhor caminho.

  • Kareem Martin

Este é um jogador que atual como LB, não faz sack nem tackle e ganha 5 milhões por ano. Cortá-lo/trocá-lo não fará a menor diferença para o time, já que Alec Ogletree terminou a temporada em alta. O corte de Martin economizará mais 3,1 milhões de Dólares para os Giants. Com este corte (e o cenário já mencionado), os Giants chegam em 15,3 milhões de Dólares de Cap e, desta forma, poderíamos ir atrás LaMarcus Joyner, Safety (S) dos Charges. O valor de mercado dele se aproxima de 10,6 milhões de Dólares, porém, eu tentaria negociar a vinda dele por 8 milhões de Dólares. Cap remanescente: 7,3 milhões.

Photo by Andrew Mills – NJ Advance Media for NJ.com cert

  • Eli Manning

Agora chegamos ao ponto polêmico dos últimos tempos: dispensar ou não Eli “THE REAL GOAT” Manning? Eis a questão! Dispensar ou trocar Eli, vai liberar 17 milhões em espaço salarial para os Giants. Com esta dispensa, o Cap chega em 24,3 milhões, ou seja, conseguiríamos melhorar a defesa do time e ainda ficar com um valor razoável de Cap, seria o resultado de fazer as movimentações necessárias e ainda sobrar dinheiro para trazer mais alguns bons jogadores por preços baixos. Como exemplo, os Giants poderiam contratar pela bagatela de 1 milhão de Dólares Teddy Bridgewater, já que o alvo para Franchise QB é Justin Herbert (que só estará disponível em 2020).

O assunto troca de Eli “THE REAL GOAT” Manning é muito delicado e há opiniões variadas sobre o assunto e muita emoção envolvida nas discussões. Porém, é algo que precisamos enfrentar e antes de iniciarmos uma discussão sobre Eli, faço uma pergunta para vocês:

O que vocês querem fazer na madrugada de 2 para 3 de fevereiro de 2020, comemorar o Super Bowl ou ser grato à Eli “THE REAL GOAT” Manning pelos serviços prestados?

Claro, Bridgewater é só um exemplo de um jogador disponível bom e barato, que pode consumir pouco Cap para montarmos um time forte e competir em alto nível na temporada 2019. Enfim, caros leitores, montar um time não é tão simples quanto desejamos. E para vocês? Como seria a mescla ideal entre Draft e Free Agency? Não esqueçam de nos seguir nas redes sociais!