Fala galera, bora falar de draft? Muito tem sido especulado sobre a escolha do Giants e qual seria a posição do time referente as duas melhores picks na posição de quarterbacks na turma de calouros em 2019, Dwayne Haskins (QB, Ohio State) e Kyler Murray (QB, Oklahoma).



Entretanto, com a sexta escolha geral do draft, o Giants teriam condições de escolher algum destes jogadores? Será que algum chegaria a sexta escolha ou seria necessário subir no draft (trade up)?

Photo by News5Cleveland

Para responder todas essas perguntas é necessário averiguar quem são as franquias que vão escolher antes do Giants, são elas (em ordem): Arizona Cardinals, San Francisco 49ers, New York Jets, Oakland Raiders e Tampa Bay Buccaneers.

Inicialmente, levando em conta as situações destes respectivas franquias e que elas não negociariam as suas escolhas com outros franquias, é possível chegar a conclusão que o Giants estaria em uma posição confortável para ao menos escolher um entre Haskins e Murray.

O Cardinals conta com Josh Rosen e o Jets conta com Sam Darnold, ambos escolhidos no draft de 2018. o 49ers abalou o mercado com a gigantesco contrato no valor de R$ 137.500.000,00 e draftou o C.J. Beathard (QB, Iowa) no terceiro round do draft de 2017. Por outro lado, Raiders e Buccaneers confiam nos veteranos , respectivamente, Derek Carr e Jameis Winston, uma vez que até o momento nenhum deles foi oficialmente colocado a venda ou pediu para ser trocado.

Photo by Dave Pokress

Vale ressaltar que a possibilidade de um destes times draftaram um quarterback sempre existirão mas existem outras franquias com uma necessidade de quarterback muito maior, e são esses os prováveis “adversários” do Giants na corrida por quarterbacks, são eles: Miami Dolphins, Jacksonville Jaguars, Denver Broncos, New York Giants e Washington Redskins.

Ao meu ver, o maior rival do Giants até o draft será Jacksonville, eles estão com a sétima escolha geral e não custaria tão caro subir algumas posições no draft para times que estão com picks de valores menores. Além disso, o time tem uma franquia mais bem estruturada, principalmente, na defesa. Porém, a necessidade de uma linha ofensiva melhor ficou claro ano passado, então, qualquer trade up para eles seria abrir mão em parte dessa outra necessidade.

Photo by AP Photo/Steven Senne

Agora, existem outras franquias que nos próximos anos já devem providenciar um quarterback, principalmente, no caso de aprendizado com um veterano no banco por alguns anos, por isso, essas franquias podem surpreender ou aguardar o próximo draft para escolhar um quaterback: New Englad Patriots, Green Bay Packers, Carolina Panthers, Tamba Bay Buccaneers, Pittsburgh Steelers, Los Angeles Chargers, Oakland Raiders e New Orleans Saints. 

Logo, neste cenário, apesar de pouco provável que fique exatamente nesta ordem, as chances do Giants ficarem com um desses quarterbacks no primeiro round são imensas. Todavia, como havia falado, este é o cenário menos provável ao meu ver porque Arizona Cardinals, New York Jets e Oakland Raiders são times que possuem necessidades em múltiplas posições, diferente do 49ers e Buccaneers que apresentam uma necessidade ou outra em todo o elenco.

  1. Oakland Raiders: A franquia tem três escolhas de primeiro para o draft de 2019, por isso, trocar a própria tão alta por várias outras escolhas seria perfeito para eles que precisam de jogadores nas posições de Safety, Linebacker, Wide Receiver, Conerback, Edge Rusher, Tight End e Running Back;
  2. New York Jets: As necessidades são Cornerback, Linebacker, Edge Rusher, Wide Receiver, Tackle, Guard e Running Back. Além de precisarem de tantos jogadores, eles não tem picks a mais como o Raiders, logo, o que torna mais provável a venda. Outro fator que torna mais concreta essa troca é a necessidade de proteger o seu franchise quarterback, por isso, a prioridade são jogadores de linha ofensiva, porém, o draft de 2019 fornece apenas alguns nomes como Jawaan Taylor (OT, Florida), Jonah Williams (OT, Alabama) e Cody Ford (OT/G, Oklahoma) como possíveis candidatos que poderiam estar nas quinze primeiras escolhas do draft em 2019, ou seja, fazer uma troca aqui e conseguir algumas escolhas a mais em rounds inferiores como segundo e terceiro para irem atrás de jogadores linha ofensiva é uma ótima escolha. É claro que até o dia do draft muita coisa pode mudar, sem contar a free agency,
  3. Arizona Cardinals: Cornerback, Defensive Tackle, Linebacker, Wide Receiver, Tackle, Guard e Center. Mesmas circunstâncias que o Jets no empenho de proteger o Rosen. Aplica-se o mesmo.

Portanto, vale especular que essas franquias farão de tudo para vender suas escolhas, neste cenário, caso a franquia nova iorquina decida garantir Haskins ou Murray deverá subir algumas posições no draft para ter certeza que ficará com algum destes jogadores.

Todavia, eu discordo de ambas possibilidades anteriores, creio que no momento o Giants precisa acumular talento de jogadores e atender nossas necessidades (que são muitas) como Tackle, Guard, Center, Edge Rusher, inside linebacker, safety e conerback. Eu sei que é impossível cobrir todos estes “buracos” em um único draft mas a franquia está em rebuild e já abriu mão da escolha de terceiro round quando escolheu o CB Sam Beal no Draft Supplemental.

Além disso, apesar do Giants ter acumulado algumas picks com trades, são picks que dificilmente tarão efeitos imediatos para o time, seria como “apostar contra a banca” visto que são escolhas de quarto e quinto round e a franquia continua com uma única escolha no primeiro round e uma no segundo round, estas sim são capazes de fornecer titulares.

Logo, com isso em mente, penso que ficar com a sexta escolha geral ou até mesmo uma trade down (troca com outra franquia para o Giants ter mais picks, porém, escolherá mais tarde no primeiro round) seria a decisão mais sábia. Vou explicar. Uma troca para subir de posição para a franquia para escolher um quaterback não vale a pena por dois motivos: Murray e Haskins podem não valer esse risco tão alto e a franquia precisa acumular talento.

Começando pelo segundo motivo, para subir seria necessário dar outras picks, tal luxo é impossível para um time em reconstrução, a franquia estaria abrindo mão de escolhas importantes para a construção do seu plantel, não vejo isso com bons olhos, eu prefiro esperar Haskins ou Murray estarem disponíveis na sexta pick do Giants ou até mesmo arriscar um free agent durante o ano caso Eli Manning venha a aposentar e o quarterback draftado em 2019 não esteja pronto ou até mesmo para substituir Eli Manning até o draft de 2020.

Além disso, durante a elaboração deste texto, foi confirmado pelo próprio Murray que ele irá para o draft de 2019 terminando com quaisquer dúvidas sobre sua possível carreira no baseball.

Quanto ao primeiro, são picks que possuem seus riscos por si só. Haskins apesar de tudo tem uma inexperiência gritante, afinal, ele teve apenas uma temporada completa em 2018. Literalmente, falta experiência que acarreta problemas em tomada de decisões importantes, principalmente, no trabalho de pés e nos passes quando fora do pocket.

Já o Murray tem o grande problema do tamanho (sem piadas intencionais, é uma um problemão), além disso deverá ganhar massa corporal para jogar na NFL para não ter problemas com as pancadas ou evitar futuras lesões. Sem contar os problemas táticos que o tamanho baixo pode proporcionar, principalmente, under center com passes rápidos onde os jogadores de linha ofensiva estarão posicionamos a frente do jogador, conforme ilustra a imagem abaixo.

Photo by Allen Eyestone / The Palm Beach Post

Sendo assim, acredito que o melhor caminho (por enquanto até a data do dia 11/02 quando Murray declarou-se para o draft da NFL) é ficar com a sexta pick e não subir de posição no draft, acredito que ambos os QB’s podem sofrer uma pequena desvalorização e certamente o Giants terá chances concretas de escolher um na sexta posição geral.

Então é isso, galera. O que vocês acham? O Giants deveria subir de posição no draft para garantir um quarterback? Escreve aí nos comentários. 😉


Clique e garanta seu ingresso com desconto!