New York Giants

Entrevista coletiva de Ereck Flowers

Photo by ChatSports.com

Ereck Flowers teve um jogo terrível no domingo contra os Jaguars: ele fez uma falta muito amadora e desnecessária na primeira jogada da temporada e um holding (clássico) na terceira. Sinais claros que coisas boas não estavam por vir nesse dia.

Além disso, ele permitiu um sack em Eli Manning e 7 de 18 tentativas de pressionar nosso QB. E, segundo a Pro Football Focus, a sua “nota” foi de 49.6, sendo que somente 38.4 como pass blocker. Foi uma tarde deprimente. E, para piorar, temos que escutar depoimentos de Pat Shurmur defendendo Flowers – e ainda dizendo que ele teve ótimas jogadas no domingo.

Não sabemos o motivo dele ainda estar em New York. O que sabemos no momento é: Flowers é o “último presente” de Jerry Reese e está no seu último ano de contrato de rookie. Além disso, infelizmente por enquanto, ele não vai pra lugar nenhum.

Apesar de Dave Gettleman fazer um monte de coisas boas na offseason, tem duas coisas que ele não conseguiu:

  • 1. Achar um outro lugar para Flowers
  • 2. Torná-lo um jogador melhor

Todos nós sabemos que ele teve uma péssima atuação no domingo. Ele sabe. Pat sabe. Os companheiros de time sabem. O que resta agora é sabermos se: ele vai lutar contra isso e melhorar ou precisamos nos preparar para coisas piores que estão por vir?

Bom, a entrevista coletiva dele deu uma “pista” de qual é a resposta para essa pergunta.

Após ignorar a imprensa depois da partida no domingo, Flowers tomou coragem e falou com todos nessa segunda-feira, dizendo:

“Eu fiz algumas boas jogadas. Mas acredito que existem coisas que eu preciso trabalhar mais. Estou tentando ser um jogador melhor.”

Além disso, ele disse que a jogada que aconteceu a pick-6 foi uma “jogada difícil” e tentou se justificar:

“O LB chegou e fui pra cima dele para segurá-lo. Mas ele chegou e saiu, então eu fui para frente e tive que voltar para trás no último minuto para ir atrás do outro. Conseguem entender o que estou tentando dizer? Tinham dois jogadores contra mim.”

Mas ele disse que está ciente da crítica que está sofrendo esse tipo de pressão dentro e fora do time. Mas, apesar disso, completou:

“Eu não perco meu sono por causa dessas pessoas, o que elas falam ou pensam sobre mim.”

Tudo isso era esperado que Flowers falasse para a imprensa. Mas tem uma coisa que devemos nos preocupar:

Calais Campbell, o homem que Flowers deveria segurar durante a partida toda está no seu 12º ano na liga, já foi 3x para o Pro Bowl e também no time All-Pro na temporada passada, com filmes e mais filmes de todos os anos de carreira para estudar e, mesmo assim, Ereck Flowers não sabia o que esperar desse jogador.

E isso comprova-se com o que ele disse sobre a primeira jogada da partida – aquela que ele passou o pé em Campbell:

“Foi um passe muito rápido e eu fui logo de primeira tentar pará-lo. (…) Eu não sabia que tipo de jogador ele era. Mas na próxima, eu não vou tão rápido em cima dele.”

Como assim? Com toda a informação disponível sobre o jogador, ele não consegue saber que tipo de jogador ele era?

GM Dave Gettleman disse da importância de assistir filmes de jogadores e jogadas até os olhos sangrarem durante a offseason. Todos os jogadores sabem a importância desse estudo diário sobre os adversários e das vantagens que isso dá durante o confronto.

Não sabemos da rotina de estudos de Flowers e nem como ele faz isso. Porém, essa declaração dele, deixa muitas dúvidas no ar sobre o jogador e do porque dele ainda estar vestindo a camisa do Giants. Para você, esse será o último ano de Flowers no time? 🙁

Shares