Como todos sabem, anualmente, é feito um “League Meeting” – uma reunião onde os donos das franquias, treinadores e diretores da liga se juntam para jantar (ou almoçar), bem como para responder perguntas do jornalistas, é uma espécie de tradição na liga.



Geralmente, os treinadores tem dias específicos e horários marcados para falar, porém, McAdoo apareceu logo após o jantar para responder as perguntas dos jornalistas presentes, um encontro de quase uma hora que respondeu algumas dúvidas sobre o elenco e abriu outras dúvidas sobre o time em si.

Para tanto, vamos organizar tudo que foi dito para você e fazer uma análise:

  • Boat Trip

O episódio aconteceu logo após o Giants garantir a vaga aos playoffs e menos de uma semana antes do jogo contra o Green Bay Packers, onde os recebedores do time – Sterling Shepard, Odell Beckham Jr., Victor Cruz e outros – foram para uma pequena festa em um barco (para ver a notícia completa, clique aqui).

Após ser perguntando pelo episódio, Ben McAdoo respondeu:

Quando estamos no prédio (no clube… na franquia…), dizemos sim ao football. Quando não estamos no prédio, precisamos fazer um trabalho melhor de dizer não às coisas que não se alinham com nosso objetivo, atingindo nosso objetivo dessa maneira.”

Uma citação bem diferente do que quando ele tentou diminuir o episódio antes dos playoffs. Cá entre eu e você, véspera de jogo, ele não queria dar créditos ao episódio porque tinha um jogo bem importante na semana seguinte mas as palavras deles deixaram bem claro seu ponto de vista quanto a tudo, uma espécie de recado para os envolvidos.

  • Geno Smith (QB)

A contratação do Geno Smith para compor o elenco foi uma surpresa para muitas pessoas, por isso, não faltaram perguntas sobre o assunto para McAdoo, porém, uma, particularmente, chamou bastante a atenção de todos porque existia um boato sobre o Giants tentar pegar um QB no draft de 2017 para ser reserva do Eli e futuro sucessor na posição.

A pergunta foi: “Poderia Geno Smith ser o substituto para Eli Manning?” – Para o choque de todos, McAdoo respondeu:

“Eu não vejo o porque não.”

Essa resposta repercutiu bastante nas redes sociais devido as inúmeras falhas que Geno Smith tem na carreira e Eli Manning ser dono de dois anéis de Super Bowl, bem como dois MVP, ou seja, duas carreiras destinadas a direções diferentes que não poderiam se quer ser comparadas.

Entretanto, eu entendo a resposta do McAdoo, ele não quis comprometer o elenco e muito menos os jogadores, por isso, tentou abafar a situação ali mesmo com uma resposta direta e curta para acabar com essa história mas a verdade é que somente essa declaração não responde se haverá outro QB draftado nesse draft ou o Giants vai esperar os próximos anos.

A única dúvida respondida é que Geno Smith tem uma chance de recomeçar, ele terá Eli como uma espécie de tutor e poderá aprender muito com isso, inclusive, arrecadar frutos para sua carreira independente de permanecer no Giants ou não. Isso porque daqui para frente tudo pode acontecer, Geno Smith pode ser cortado quando fechar os 53 jogadores no elenco final, bem como pode ser mantido, portanto, daqui para frente ele só depende dele e de mais ninguém para mostrar que pode ser ao menos um bom jogador fora e dentro de campo.

Por fim, até hoje eu não entendi muito bem essa movimentação do Giants, porém, com três QB’s no elenco, fica bem claro que o Giants já tem essa parte do elenco fechada e somente vai draftar alguém de valor em uma escolha certa, por exemplo, um jogador com talento promissor que não custe tão caro, um verdadeiro achado, pois se não acontecer ao menos já tem um “plano b” definido.

  • Linha ofensiva (OL)

Por incrível que pareça a imprensa gastou o maior tempo aqui. Porém, apenas três pontos merecem destaques: a) Flowers (sic); b) Pugh mudando para tackle esquerdo; c) Fluker; e d) Jogadores de linha ofensiva no draft.

  • a) Flowers

Antes de adentrar as perguntas e respostas aqui, quero lembrar que até o dia 17 de Abril nenhuma técnico da NFL pode trabalhar com seus jogadores diretamente, por isso, a maioria dos jogadores vão para centros de treinamentos ou fazem treinamentos separados. No caso da nossa linha ofensiva, eles foram para o LeCharles Bentley’s O-Line Performance Center, uma espécie de centro de treinamento para jogadores de linha para lá treinar até o dia da apresentação, logo, todos eles estão lá, inclusive o Flowers.

Além disso não é segredo para ninguém que todos estão curiosos para saber se o Giants vai draftar alguém para linha ofensiva ou irá manter os jogadores que tem ou ainda qual seria a formação, por que muitos jogadores fazem mais de uma função.

Por isso, McAdoo disse que não tem convicção de como a linha ofensiva seria formada mas deixou claro que Flowers não teria sua posição alterada inicialmente e, principalmente, que ele tem trabalhado bastante para melhorar sua técnica, bem como o jogador tem trabalhado bastante para estar fisicamente preparado.

Pessoalmente, eu acho que McAdoo foi muito feliz na declaração dele, verdade seja dita Flowers nos custou uma escolha de primeiro round, por isso, ele deve ser aproveitado ao máximo até o fim do seu contrato de calouro sendo que é necessário tentar de tudo para o jogador se adaptar na NFL, no final, se tudo der errado, aí sim, é hora de repensar sobre o jogador e qual a posição dele.

  • b) Pugh mudando para tackle esquerdo

Esse questionamento nasceu porque Fluker ou Jerry ou até o Flowers poderiam jogar como Guard esquerdo e Pugh iria para o Tackle esquerdo. McAdoo respondeu:

“Muito cedo para dizer.”

Isso é fácil de ver porque apesar do Giants não ter a melhor linha ofensiva da liga, a franquia não está em um momento crucial de desespero para tirar o melhor jogador da linha ofensiva de sua posição cujo qual é um dos melhores nela para mudar o jogador para outro cujo qual tem pouca prática desde que entrou na NFL, não faz sentido e pode ser prejudicial demais para o próprio Pugh.

  • c) Fluker

Logo após os questionamento sobre mudanças de posição, McAdoo disse que Fluker pode jogar como Guard na esquerda ou direita, bem como tackle no lado direito, demonstrando uma versatilidade boa por parte do jogador que não custou tão caro.

Dessa forma, McAdoo mostrou confiança nos jogadores que tem até agora, porém, quanto questionado sobre a possibilidade de mudanças ou adições de um novo jogador, ele acrescentou:

“No começo do processo.”

Colocada no contexto, ficou claro que a linha ofensiva está no início do processo de formação, por isso, é impossível determinar se irá precisar de mais jogadores ou não, deixando a entender que ainda é possível uma novação adição a linha ofensiva, como por exemplo através do DRAFT, e que Fluker tem papel importante nessa formação em virtude da sua versatilidade.

  • d) Jogadores de linha ofensiva no draft

Durante sua entrevista e falando da linha ofensiva, Paul Schartz (escritor do New York Post) questionou a qualidade dos tackles no draft de 2017 e disse que a classe como um todo não tem passado uma confiança técnica. Por sua vez, McAdoo respondeu que essa fala do Paul Schartz é um argumento seguro a se dizer.

O fato do McAdoo concordar não diz muita coisa, porém, ganha cada vez mais força o entendimento que o Giants não irá gastar uma escolha de primeiro round em um jogador de linha ofensiva.

  • Chamadas das jogadas de ataque em 2017

Bom, já falei um pouco disso em textos anteriores e sou extremamente contra McAdoo continuar a chamar as jogadas porque ele ainda é novo como Head Coach na NFL, talvez, o fato de se preocupar tanto com o ataque tenha dado certo para a defesa que foi comandada pelo coordenador defensivo (Steve Spagnuolo), porém, é chegado a hora que em determinado tempo de jogo, McAdoo não poderá se comprometer com o time em um todo e permanecerá cuidando apenas do ataque que não um dos pontos fortes do time, por isso, sou firme em afirmar que McAdoo deveria dar a responsabilidade para outra pessoa e deveria cuidar do playbook do time, por exemplo, que tem sido um ponto falho nas jogadas e execuções na temporada passada.

Porém, para minha surpresa, ele respondeu que apesar de ter conversado John Mara sobre o assunto, a decisão final ainda é dele.

  • Ellison como Tight end e Fullback

Bem, aqui é uma grande mudança, apesar do elenco não estar fechado ainda, o Giants todo ano tem colocado um fullback e três tight ends nas posições, porém, com Ellison isso pode mudar e foi teoricamente confirmado pelo técnico ao afirmar que Ellison irá jogar como um TE normal, alinhado um pouco atrás da linha ofensiva fazendo bloqueios e recebendo passes mas também poderá ficar alinhado como full back atrás do QB e na frente do RB.

Isso deixa um pouco mais claro que o Giants certamente podem adicionar mais um tight end no elenco para ocupar essa vaga de fullback no plantel. Provavelmente, minha aposta é que esse tight end virá do draft desse ano.

  • Situações dos linebacker do time

Giants terminou a temporada de 2016 com a seguinte formação para os quatro LB’s do time: Devon Kennard (strong LB), Kelvin Sheppard (Mirror ou insider LB) e Jonathan Casillas (weak LB). Porém, Kelvin Sheppard virou free agent e não teve seu contrato renovado, logo, abrindo vaga como LB central do time, para essa vaga o provável substituto seria B.J. Goodson. Tempo depois, o Giants renovou com Keenan Robinson, logo ele fatalmente disputaria a posição também.

Por isso, McAdoo confirmou que ambos estariam na disputa pela posição, porém, não confirmou COMO, abrindo margem para afirmar aquele pensando que o Giants talvez viria atrás de um ou mais LB’s no draft porque ano que vem Casillas, Kennard e Robinson vão ser free agents.

  • Kicker

Uma das posições que não tem um jogador definido ainda é a de kicker. Logo, foi alvo de inúmeras perguntas sobre quem pode aparecer na posição e como em virtude das questão de cap do Giants porque uma possível renovação dom Hankins viria a piorar um pouco a situação de um kicker.

O treinador de cara respondeu que pode adicionar um veterano ao elenco em algum momento da pré temporada e que gosta muito do K Aldrick Rosas que foi adicionado ao elenco com um contrato futuro.

Para quem não sabe Aldrick Rosas esteve presente no Draft de 2016 e apesar de não draftado foi contrato pelo Titans, porém, em movimentação rápida Reese logo assinou um contrato futuro (notícia completa, clique aqui) com o jogador para garantir pelo menos a participação do mesmo nas atividades da pré temporada.

Logo, McAdoo deixou bem claro que Rosas despertou o interesse do clube e pode ficar no elenco, porém, eu acho bem arriscado confiar a titularidade dessa posição para um jogador que se quer participou com efetividade da NFL, é uma grande aposta que permanece aberta até agora e, provavelmente, ainda ficará até o draft visto que existem apenas dois nomes de elite e confiança (Zane Gonzalez – Arizona State e Jake Elliott – Memphis ) e de forma alguma esses jogadores vão sair como undrafts, por isso, Reese e McAdoo tem ainda muito a se pensar antes do draft, como por exemplo, se vão gastar uma escolha de sexto ou sétimo round em um kicker ou vão aguardar opções mais baratas.

Diz aí o que você achou da entrevista. Ficou surpreso ou sem novidades? Não esquece de comentar! 😀