A semana começou feliz para os torcedores do Gigante de New York e melhorou ainda mais quando nosso querido Jason Pierre-Paul foi nomeado melhor jogador defensivo da semana pelos incríveis 3.0 sacks, 1.0 touchdown após fumble recuperado de 43 jardas e 7 tackles (sendo 3 para perda de jardas).



Entretanto, nem tudo foi fácil na vida do nosso querido defensive end que após um início de carreira brilhante lidou com um acidente grave que resultou na perda do dedo indicador e parte do dedo médio, ambos da mão direita.

Nesta crônica iremos discutir sobre o antes e depois do acidente, bem como o que esperar do futuro desse baita jogador.

Foto por Mike Stobe

Jason ANDREW Pierre-Paul nasceu no dia 1º de janeiro de 1989 em Deerfield Beach, Florida. Jogou pela South Florida Bulls Football e foi escolhido pelo New York Giangs no 1º Round do draft de 2010 onde iniciou sua carreira profissional como reserva dos Defensive End’s, Osi Umenyiora e Justin Tuck.

Já na temporada regular em 2011/2012 com algumas lesões e um sistema de rotação adotado na época, JPP conseguiu começar como titular 12 vezes durante todo ano e ninguém conseguiu chegar perto dele tendo os impressionantes números: 16.5 sacks (líder do time), 1 safety e 2 fumbles forçados que resultaram em sua nomeação para o Pro Browl e First-Team All-Pro.

Isso tudo foi só o “bolo” porque a “cereja” ficou para o último jogo da temporada contra os eternos rivais Dallas Cowboys quando JPP bloqueou a tentativa de Field Gol do kicker Dan Bailey’s nos segundos finais garantindo a vitória do Giants 37 x 34 e o passe para os playoffs (wildcard).

Photo by Tim Heitman-US PRESSWIRE

Nas temporadas seguintes JPP não deu continuidade ao excelente trabalho mas com a saída e aposentadoria de importantes jogadores, tornou-se peça fundamental no time e com os seguintes números:

  • 2012 – 43 tackles, 6.5 sacks, uma interceptação, um fumble e um touchdown;
  • 2013 – 20 tackles, 2.0 sacks, uma interceptação e um touchdown;
  • 2014 – 54 tackles, 12.5 sacks e três fumbles.

Já em 2015, apesar de ter demonstrado uma melhora na forma física a maior franquia de New York resolveu colocar uma franchise tag, não exclusiva, no jogador.

Todavia, em julho de 2015, a carreira do JPP foi capa dos jornais devido ao acidente com fogos de artificio que resultou em uma lesão grave na mão direita e aqui começou uma “guerra” com os paparazzi’s porque o jogador queria recuperar-se na privacidade da sua casa com sua família mas fotos da sua mão machucada eram constantemente divulgadas.

Foto por Julio Cortez/Associated Press

A principal consequência dessa lesão foi que o jogador ficou em observação constante dos médicos porque poderia haver sequelas no nervo poderia conter alguns danos e prejudicar sua carreira de jogador, por isso, a recuperação era crucial para o futuro do jogador na liga.

Foto por FameFlynet

Outra consequência foi contratual, a franquia nova-iorquina poderia ter oferecido um novo contrato durante o período da franchise tag mas devido ao acidente provavelmente retirou quaisquer ofertas possíveis em jogo uma vez que o futuro do jogador era incerto.

Chegou-se a ser divulgada uma notícia pelo Insider da NFL, Ian Rapoport que o Giants teria retirado da mesa de negociações uma oferta de aproximadamente 60 milhões de dólares. Para ver a matéria clique aqui.

Posteriormente, Pierre-Paul conseguiu voltar para temporada de 2015, utilizando uma espécie de luva que cobria toda a mão direita que limitada o movimento dos dedos e da mão não sendo possível agarrar ou segurar.

Foto por Fox Sports

Tudo isso, resultou na inevitável renegociação contratual entre a franquia nova iorquina e o jogador que ficou marcada por ser semelhante a um contrato de produção onde o jogador ganharia $ 50,000 por cada meio sack, caso chegasse a marca de 9.5 sacks ele ganharia $ 1 milhão, se chegasse a 10 sacks ele ganharia $ 8.7 milhões, além disso, garantiu $1.5 milhões por bônus e $ 250,000 se ele jogar 80% dos snaps em cada jogo até o final daquela temporada.

Apesar de tudo o jogador conseguiu participar dos últimos oito jogos da temporada regular somando apenas 1.0 sack e 21 tackles, números baixos para um defensive end e, principalmente, um jogador do seu escalão.

Vale lembrar que a franquia do Giants não andava nada bem, a defesa amargava os números de ser a pior contra passes na NFL e terminou como 24ª pior contra o jogo terrestre, mas a contribuição do JPP em campo é facilmente vista pelos números da defesa do giants que após seu retorno e, principalmente, do seu colega defensive end, Robert Ayers que somou 7.5 sacks (9.5 no total).

Aqui, podemos dizer que foi o marco zero da vida do jogador porque aqui Jason Pierre-Paul mostrou porque é considerado um GIGANTE, deixou todos os fatos do acidente para trás e recuperou-se perfeitamente, inclusive, afirmou quando era entrevista em abril de 2016 que estava em sua melhor forma física e que seria um jogador melhor do que ele já foi.

Via instagram do próprio jogador.

  • Pierre-Paul seria um jogador melhor do que já foi?

O ano começou e JPP assinou com o giants um novo contrato de um ano no valor de $ 10.000.000 após rejeitar uma proposta de valor superior do Arizona Cardinals, sem contar as contratações da franquia para o setor que foram Oliver Vernon e Damon “Snacks” Harrison.

As mudanças não terminam aí. O Giants e JPP correram atrás do tempo perdido e fizeram uma luva customizada especialmente para a mão direita do jogador permitindo o mesmo efetuar jogadas como agarrar, empurrar e pressionar que antes não era possível.

Via Intagram do jogador

Contra o Bears foram 2.5 sacks e um fumble forçado. Já contra o Browns foram 3.0 sacks, 1.0 touchdown após fumble recuperado de 43 jardas e 7 tackles (sendo 3 para perda de jardas) mesmo com a carga de participação de snaps elevada.

Fato é que JPP mudou todo seu mecanismo de jogo para compensar os danos do acidente porque durante toda sua vida ele tinha um tipo específico de jogo programado para aqueles dez dedos, porém, a realidade é que o jogador perdeu um dedo e parte de outro, por isso, foi necessário ser GIGANTE para adaptar-se e evoluir.

Foto por AP Photo/David Richard

Vale destacar que essa última atuação contra o Browns rendeu ao JPP o título de JOGADOR DEFENSIVO DA SEMANA (week 12), por isso, é necessário destacar que GIGANTE reconhece outro da sua espécie e tem sido assim que os milhões de torcedores do BIG BLUE tem visto JPP, como GIGANTE que superou barreiras e se reinventou.

Diante de tantos argumentos fica fácil responder aquela pergunta feita anteriormente, JPP é um jogador melhor do que ele já foi, afinal, quem diria que chegou-se a especular o fim da carreira do jogador para as belíssimas atuações em jogo, quem poderia falar que diante de todos utensílios ele ainda poderia mostrar mais.

Quanto ao futuro, fica fácil de adivinhar, JPP tem apenas 28 anos e seu contrato acaba no final da temporada sendo free agent para 2017, mas antes disso temos chances de ir aos playoffs sendo que JPP e companhia tem aquele “juice” especial, aquele fator X que pode influenciar diretamente em uma partida de playoffs.

Por fim, vale destar que o Giants deve correr atrás da renovação do jogador o mais rápido possível porque eu, fielmente, acho que JPP, Vernon e Harrison podem fazer essa defesa um algo a mais nos próximos anos, visto que os jogadores ainda são jovens e possuem longos contratos.

E aí, o que vocês acham? O Giants deve renovar o contrato do jogador ainda em 2016? O que vocês acham da evolução do jogador? Comenta aí. 😀


Clique e garanta seu ingresso com desconto!