Muita alegria e empolgação tomou conta dos jogadores, e claro, dos torcedores do New York Giants. Afinal, o time jogou como um verdadeiro campeão de Super Bowl e destruiu os Redskins fora de casa com uma partida praticamente perfeita de todos em campo.



Em uma entrevista coletiva, Tom Coughlin foi perguntado sobre a situação do Giants e qual era o time de agora. Ele respondeu: “Nós somos um time 2-2. Por algumas semanas muitos disseram que não éramos bons e não acreditamos nisso. Nós batalhamos e traçamos o nosso caminho e estamos 2-2 nesse momento. Nós temos que continuar com essa atitude e também provar que somos um bom time. E devido ao nosso grande desempenho da semana passada, temos mais peso em nossos ombros para continuar com o mesmo futebol.” 

  • E quando perguntaram sobre o progresso visto nessas últimas duas semanas:

“Nós melhoramos e muito. Uma coisa que posso dizer a vocês é: nos últimos dois jogos combinados, nós tivemos 10 drives que começaram no território do adversário, 6 touchdowns e 2 FG. Os adversários não tiveram nenhum drive que começaram em nosso território, isso prova que estamos cuidando melhor da bola, protegendo os jogadores, melhorando nossa postura e claro, conseguir converter turnovers em alguma pontuação. É uma melhora significativa em duas semanas.” 

  • Sobre Eli Manning:

“Não existe dúvidas sobre ele ou se ele está conseguindo criar confiança com o novo sistema.”

  • Sobre Trumaine McBride:

“Ele tem sido um ótimo jogador essa temporada, nós sabemos que podemos contar com ele e ele continuará nessa posição como titular até o momento.”

  • Sobre o passing-game:

“A proteção tem sido ótima na maioria das jogadas nas últimas semanas e certamente estamos sendo beneficiados por isso, porque Eli Manning tem tido tempo para pensar nas boas jogadas e fazer a decisão certa. Ele tem sido muito preciso nos lançamentos e vejo muita coisa boa e poderosa vindo por aí, se continuarmos progredindo igual estamos.”

  • Sobre Jon Beason:

“Nós queremos utilizar os talentos e habilidades dele, para que ele possa ajudar o time ainda mais. Ele teve uma lesão que nós tivemos que lidar e estamos observando para deixarmos ele saudável e pronto para entrar em campo o mais rápido possível.” 

  • Quando perceberam que Donnell seria um jogador chave:

“Nós sempre soubemos, devido ao seu porte atlético. Ele tem sido um TE incrível e existe muita responsabilidade nele. Ele tem que receber, bloquear e isso exige um bom conhecimento do jogo, das rotas, defesas e muito mais. Ele ainda é jovem e inexperiente, mas tem muita força de vontade, atleticismo e velocidade. Existe ainda um longo caminho pela frente, mas não muda o fato dele ser excepcional e o que pensamos dele.” 

*Fonte, aqui.


Clique e garanta seu ingresso com desconto!