DRAFT 2018 New York Giants

Undrafted Free Agents – Atualizado

Photo by Giants

Fala galera, vamos falar um pouco daqueles jogadores que muitas vezes não são convidados para o combine da NFL e passam despercebidos pelos olhos de muitos torcedores até que são selecionados para o elenco final de uma franquia ou fazem jogadas surpreendentes na pré temporada… estou falando daqueles jogadores que não foram se quer escolhidos no draft e tornaram-se undrafted.

E nada melhor do que começar com o maior exemplo na franquia nos últimos anos. Victor “Salsa” Cruz. Para quem não sabe Cruz não participou do draft de 2010 e não foi escolhido por nenhum time. O Giants, aproveitou e tratou de assinar com o jogador que se destacou nos treinos e fez um SENHOR JOGO contra o NY Jets na pré temporada, sua atuação foi tão fora de série que até LeBron James usou o twitter para expressar o sentimento.

“Victor Cruz está enlouquecendo o Jets nessa noite no MNF. O calouro não draftado de UMass. Ele terá um emprego esse ano com certeza”

Sua atuação foi tão animal que garantiu o lugar do jogador no roster final e anos depois marcou o coração de todos os torcedores do Big Blue.

Mas esse artigo é para falar sobre os jogadores não draftados desse ano, você já os conhece?

Para quem não sabe, o Giants, até o dia 21/05, assinaram (oficialmente) e colocaram em seu rooster* os seguintes undrafted’s:

  1. Stephen Baggett, TE, East Carolina**;
  2. Evan Brown, C, SMU;
  3. Sean Chandler, S, Temple;
  4. Tyrell Chavis, DT, Penn State;
  5. Aaron Davis, CB, Georgia;
  6. Jawill Davis, WR, Bethune-Cookman;
  7. Tae Davis, LB, Tennessee-Chattanooga;
  8. Bryon Fields, CB, Duke**;
  9. Nick Gates, G, Nebraska;
  10. Grant Haley, CB, Penn State;
  11. Tyler Howell, T Missouri;
  12. Robert Martin, RB, Rutgers;
  13. Mike Jones, CB, Temple.

*existem alguns jogadores que não foram draftados e não foram contratados pela franquia mas são convidados a participar das OTA’s. Nestes casos, o jogador não estão oficialmente contratado pela franquia, estes não estão nessa lista.

** Stephen Baggett e Bryon Fields já foram cortados pela franquia.

Provavelmente, 90% dos jogadores se querem ficam no elenco final, digo isso por ser normal, não vão fazer parte de nenhuma franquia no futuro, é um cenário cruel mesmo.

Digo isso porque esses jogadores não foram escolhidos pelas franquias por acaso ou desleixo, muito pelo contrário, certamente esses jogadores tem alguns problemas técnicos que afastaram o interesse das franquias ou possuem problemas extra campo.

Por isso, vou destrinchar as principais apostas e quais estão lutando por vaga no elenco atualmente.

1. FORA DO ELENCO FINAL (53-Roster)

Quando eu falo que não vão estar presentes na lista final com 53 jogadores pode ser que o jogador fique na Injury Reserve (IR) ou Practice Squad (PS) do time.

Jawill Davis, Tae Davis, Mike Jones e Robert Martin, ao meu ver são os que já estão praticamente eliminados e podem ser substituídos por outras contratações nos próximos dias.

Vamos começar por Mike Jones. Esse é o corte mais fácil entre todos os jogadores não draftados. O jogador fez uma única temporada no programa de football em Temple, em 2017, de longe é o  menos preparado, atualmente, e para piorar a situação ele está concorrendo vaga de reserva mais CB’s que não foram draftados, Aaron Davis e Grant Haley, eu vejo esses dois em um patamar superior ao Jones. Acredito que o Jones tenha ficado até agora porque é um setor que preocupa a comissão técnica, por isso, foram afundo em os “melhores” não draftados.

Photo by GENEVA HEFFERNAN

Jawill Davis é outro corte fácil. Ele faz parte do corpo de recebedores, ou seja, o setor que o Giants mais investiu com veteranos no ano anterior, logo, ele tem a disputa mais cruel pela frente, visto que Sterling Shepard e Odell Beckham Jr. são titulares absolutos.

Além disso, o jogador irá disputar uma vaga de reserva contra veteranos com tempo de casa e outros não, são eles: Russel Shepard, Alonzo Russel, Cody Latimer, Keeon Johnson, Amba Etta-Tawo, Marquis Bundy, Kalif Raymond, Hunter Sharp, Travis Rudolph e Roger Lewis.

Photo by Romeo T. Guzman

O cenário atual também não é bom, pelos relatos das OTA’s Engram tem jogado bastante snaps como um recebedor no slot e nas vezes que não era ele, a vaga era ocupada por Cody Latimer (até agora), ou seja, o jogador dependerá de ótimas aparições em treinos e jogos de pré temporada, se tiver essa chance é claro, com tantos nomes acho bem complicado dele se quer entrar no ataque e talvez fique nos times especiais, vamos aguardar.

Outro undraft player que sofre com a concorrência dos veteranos é Tae Davis, o jogador terá que se destacar em meio de Thurston Ambrister, Ray-Ray Armstrong, Calvin Munson, B.J. Goodson e Marke Hezlich. Isso sem contar os recentes contratos Kareem Martin e Alec Ogletree, bem como o recente draftado Lorenzo Carter.

Photo by Duncan Williams/CSM/Alamy Live News/Alamy Stock Photo

A situação de Tae Davis é tão difícil que talvez exista mais concorrência para o jogador, isso porque a formação da defesa pode mudar e jogadores classificados como edge’s podem pintar como outside linebacker (OLB), nomes como Avery Moss e Olivier Vernon ganham força nesse setor.

Por fim, o último da lista é Robert Martin que tem impressionado os técnicos e olheiros com seu atletismo, por isso, tem ganhado espaço mesmo na disputa pelo backfield. Porém, como todos sabem que está praticamente fechado com Saquon Barkley, Jonathan Stewart e Wayne Gallman. Vale ressaltar que Paul Perkins apesar de cortado foi adicionado a Injury Reserve do time e pode retornar em um futuro próximo, tudo dependerá da sua lesão.

Photo by John Munson

Logo, a maior chance de Martin seria se o próprio jogador fosse eleito como retornador do time, porém, acho bem difícil disso acontecer e o jogador provavelmente ficará no Practice Squad, acredito que vale apena deixar esse jogador treinando por um ano.

 

2. LUTANDO POR UMA VAGA ELENCO FINAL (53-Roster)

Vamos aos jogadores que vão disputar uma posição ou até mesmo ficar com ela. Para chegar a essa lista usei como critério defeitos técnicos do jogador, disputa pela posição, quantidade de vagas dentro da lista de 53 jogadores e potencial do jogador para evoluir na NFL, sendo assim, alguns podem ser dispensados mas até agora acredito estes serem os com maior chance.

Vale ressaltar que existe um caso que ao meu ver é praticamente certo, é o caso de Evan Brown (Center, SMU). O jogador mede 1,88 m e pesa 136 Kg, que está treinando com o elenco e provavelmente será o reserva do center titular, Brett Jones.

Além disso, no rookie camp o jogador se destacou entre os calouros como o mais técnico entre os jogadores de linha ofensiva, extremamente inteligente com um bom trabalho de pés . Logo, pelo relatório dos especialistas, olheiros e treinadores Evan Brown é um bom jogador que precisa ser lapidado para a NFL e o Giants irá apostar nele.

Outro dois jogadores de linha ofensiva que estão na disputa são Nick Gates (Guard, Nebraska) e Tyler Howell (OT, Missouri). Eu, sinceramente, acho que esses dois não chegam no elenco final mas os relatórios e notícias tem apontado positivamente para esses dois pelo problema de rotatividade de talento na linha ofensiva, logo, os jogadores de linha ofensiva ganham força porque é uma das posições mais carente da franquia nos últimos anos.

Gates, por exemplo, era classificado pelos olheiros para sair no quarto ou quinto round, inclusive, as comparações do jogador eram com o veterano Andrew Norwell, porém, a falta de tamanho (físico) do jogador prejudicou o interesse das outras franquias e o jogador acabou virando não draftado.

Photo by Getty Images

Para quem não conhece, Gates tem 1,96 m de altura e pesa 139 Kg, o problema dele não é quantidade e sim qualidade muscular, a preocupação dos scouts é com a força física do jogador para lidar com jogadores de linha defensiva cada vez maiores, como DT Aaron Donald.

Tyler Howell segue o mesmo exemplo, porém, com problema invertido, o jogador mete 2,03 m e tem 148 Kg, altura e peso ideal para a posição, bom demais até, mas falta técnica e trabalho de pés. O jogador durante toda a temporada de college sofreu para lidar com a pressão de jogadores mais rápidos, agora, imaginem na NFL contra edge rusher’s.

Outro jogador que deve ficar é Sean Chandler (S, Temple), ele não tem se destacado mas a concorrência na posição está bem fraca. O Giants tem bons nomes para titulares e um reserva imediato, estou falando de Landon Collins como titular absoluto e para outra vaga ficaria com o vencedor de Andew Adams e Darian Thompson mas para compor o elenco como reserva, essa vaga fatalmente está aberta e Chandler quer ficar com ela.

Photo by Mitchell Leff/Getty Images

Para concorrer a vaga de segundo reserva o Giants tem Michael Thomas, Darian Stewart e Jerimiah McKinnon. Tirando Michael Thomas, os demais não representam quaisquer perigos, são jogadores que pulam de practice squad de um time para outro, apenas para compor elenco.

Sinceramente, pelo pouco que eu vi e pude ler sobre o jogador, Sean Chandler já mostrou ser muito melhor do que Stewart e McKinnon, então, ele está brigando pela vaga com Michael Thomas.

Chandler tem talento, olhem essa ficha técnica:

  • Medidas do jogador: 1,78 m e 93 Kg,
  • Resultados no combine: 4.65 segundos na corrida de 40 jardas; 16 repetições no supino, 34.5 inches no pulo vertical, 119 inchess no salto de distância;
  • Resultados no proday: 4.56 segundos na corrida de 40 jardas;
  • Números do jogador: 183 tackles solos sendo 13.5 para perda de jardas, 3.0 sacks, 10 interceptações e 4 fumbles forçados.

O jogador é um atleta com um físico impressionante, os relatórios de scout’s dizem que ele foi titular durante quatro anos no college, por isso, desenvolveu uma maturidade de líder em campo e tem experiência para evoluir na NFL, suas habilidades tem como maior destaque em fazer tackles na linha de scrimmage ou atrás porque seu forte não é marcação acompanhada no fundo e sim contra as corridas e jogadas curtas. Sabe fazer a derrubada quando o recebedor faz o catch mesmo não olhando para bola e tem marcação em zona.

Ele não foi escolhido do nada, é claro que existem defeitos, eu destaco que o jogador não tem uma altura ideal para a posição, por isso, tem grandes dificuldades contra recebedores maiores e sofre bastante contra bloqueios após a linha de scrimmage, depois que a corrida já começou.

Além desses, tem limitações para marcação individual, não consegue marcar recebedores em rotas para o fundo do campo e não consegue fazer marcação shadow nos olhos do quarterback adversário.

Outro nome certo na lista final, não só pela necessidade no time mas porque tem se destacado muito no rookie camp, é Grant Haley (CB, Penn St.).

Photo by Rich Barnes-USA TODAY Sports

Ficha técnica do jogador:

  • Medidas: 1,75 m e 86 Kg;
  • Resultado do combine: 4.44 segundos no tiro de 40 jardas, 15 repetições no supino, 34 inches no pulo vertical e 119 inches no salto de distância;
  • Resultado do pro day: Não fez;
  • Números do jogador: 89 tackles solos sendo 6.5 para perda de jardas, 5 interceptações, 2.0 sacks e um fumble forçado em 4 anos de carreira na Penn St.

Ele não é um grande conerback,  assim como Xavier Rhodes, Jalen Ramsey, Patrick Peterson e Casey Hayward, entretanto, Haley é um playmaker nato que faz um excelente trabalho de tackle nos recebedores que ele estiver marcando. Ao meu ver, pelos relatórios e entrevistas da comissão técnica ele está brigando pela vaga de CB no slot ou pelo menos reserva, é um nome bastante forte para ficar.

Por outro lado, não será uma batalha fácil, o jogador está disputando vaga com seletos veteranos tais como:  Gay (quem tem jogado como titular no slot), B.W. Webb, Teddy Williams, Chris Lewis-Harris, Mike Jones, Curtis Riley, Tim Scott e Donte Deayon.

Além dos veteranos também um calouro, inclusive não draftado, que está na concorrencia, talvez seja o maior obstáculo por enquanto de Haley, estou falando de Aaron Davis (CB, Georgia).

Photo by Getty Images
  • Medidas: 1,80 m e 88 Kg
  • Resultado do combine: Não convidado
  • Resultado do pro day: 4.4 segundos no tiro de 40 jardas (não oficial)
  • Números do jogador: 184 tackles sendo 11.5 para perda de jardas, 4.0 sacks, 3 fumbles forçados e 5 interceptações em 4 anos.

Esse é um jogador que me intriga, vi algumas tapes dele e gostei do que eu vi, principalmente do espírito de liderança do jogador em campo e da flexibilidade de jogar em mais de uma posição, ele já jogou de FS, como também já joga de CB.

Em 2016, ele jogou muito bem, o principal destaque é a ótima marcação em shadow do QB, ele praticamente acompanha os olhos do QB e sabe fazer blitz como ninguém, naquela defesa da Georgia, porém, quando ele tinha que ir na marcação individual, a coisa não ficava legal para ele, a situação foi tão grosseira que no próprio esquema do time sempre que havia marcação individual um outro jogador marcaria o recebedor no início e Davis ficava mais recuado, atrás, aguardando na zona de marcação quem iria sobrar ou passar por lá.

Outra coisa positiva é a técnica de tackle do jogador, limpa e precisa, mas precisa treinar bastante o trabalho das mãos e marcação sem olhar para a bola, cansei de ver jogos que ele da uma pequena reduzida na velocidade para olhar onde a bola está, essa fração de segundo pode ser fatal porque os recebedores na NFL são maiores e mais rápidos.

Ele também está na mesma disputa que Haley está mas por tudo que pesquisei, creio que ele disputará a vaga de reserva para o corpo de CB, então, os concorrentes são: W. Gay, B.W. Webb, Teddy Williams, Chris Lewis_Harris, Mike Jones, Grant Haley, Curtis Riley, Tim Scott e Donte Deayon.

O último nome da lista, Tyrell Chavis (Defensive Tackle, Penn St), as chances são pequenas devido ao forte draft na posição que o Giants fez, porém, as boas atuações do jogador no mini camp tem aumentado suas chances gradativamente.

Photo by Kathleen Malone-Van Dyke

Digo que as chances são pequenas porque o “corpo” da linha defensiva foi muito bem reforçado e o plantel já tinha bons nomes.

Pelo draft foram escolhidos B.J. Hill e R.J. McIntosh. Josh Mauro (com 4 games de suspensão) veio da free agency. Fatalmente esses são os nomes já estão no elenco principal. A disputa será pelas vagas de reservas, os nomes envolvidos são: Robert Thomas, A.J. Francis, Josh Banks, Kristjan Sokoli, Kerry Wynn e Jordan Williams. Nada fácil, não é mesmo?

Alguns nomes dessa lista tenho certeza que a maioria não vai nem reconhecer, foi difícil até pesquisar pela pouca experiência na NFL, nomes como A.J. Francis, Kristjan Sokoli e Jordan Williams não tiveram um começo bom na NFL e pularam de um time para o outro constantemente, logo, eu acredito que Chavis tem mais talento e maior potencial até mesmo para ultrapassar esses jogadores logo nas OTA’s.

A maior dificuldade de Chavis será contra Robert Thomas, Kerry Wynn e Josh Banks. Os dois primeiros são crias da casa e ganharam ainda mais espaço com a possibilidade de jogarem como defensive end’s na formação 3-4 que possivelmente será tática na defesa do Giants. Já Josh Banks também foi um não draftado, porém, no ano de 2017 e conseguiu ficar no elenco. 

Entretanto, apesar dos desafios, eu acredito que Chavis fique pelo potencial do jogador. Para quem não conhece Chavis, segue sua ficha:

  • Medidas: 1,91 m e 138 Kg;
  • Resultado do combine: Não convidado;
  • Resultado do pro day: 5.28 segundos no tiro de 40 jardas, 24.5 inchess no pulo vertical, 18 repetições no supino;
  • Números do jogador: 31 tackles sendo 8 para perda de jardas e 3.5 sacks em 2 anos.

Chavis não foi titular em 2017 pela Penn State, foi utilizado como rotação na defesa, talvez tenha sido isso o principal motivo que desvalorizou o jogador porque qualidade, isso sem contar que ele é considerado “pequeno” para jogar como Nose na formação 3-4, a mesma de Damon “Snacks” Harrison, mas o que ultimamente tem chamado mais atenção do Coordenador Defensivo do Giants, James Bettcher, é o potencial do jogador para jogar como 5-tech end na formação 3-4 e sua técnica pré existente para pass rush, especialmente, como defensive tackle (interior da linha). 

A maioria dos relatórios de scouts apontam um ótimo trabalho com as mãos e um bom domínio sobre as técnicas de pass rusher. O trabalho com os pés é bom, principalmente, no momento das carregas para deslocar os jogadores mas sofre nos bloqueios duplos das linhas ofensivas, principalmente, com jogadores maiores que ele.

Como já havia falado, essa nova tendência da NFL em formar jogadores de linha defensiva com habilidade de pass rush tem crescido e talvez a comissão técnica resolva apostar no jogador em uma rotação de linha defensiva e em algum momento que exigir pass rush.

Bom, é basicamente isso tudo que você, caro leitor, precisa saber. Gosta de alguém da lista? Quem você cortaria? Quem ficaria? Comenta aí.

 

 

 

Shares